Header Ads

>

Pinheiros vence Rexona AdeS e garante vaga na final da Copa Brasil





 vôlei, Pinheiros x Rio de Janeiro (Foto: Alexandre Arruda / CBV) 

Parecia que seria mais fácil do que todos imaginavam, mas do outro lado da rede estava o Rio de Janeiro. Depois de abrir 2 a 0 com uma atuação quase perfeita taticamente, o Pinheiros foi dominado na parcial seguinte e permitiu que o atual líder e bicampeão da Superliga diminuísse o prejuízo. Mas a noite era do time paulista. Com grandes desempenhos da líbero Léia, da levantadora Macris e, principalmente da central Fê Isis, escolhida a melhor em quadra, a equipe paulista voltou a ser mais regular no quarto set e venceu a equipe do técnico Bernardinho por 3 a 1, parciais de 25/21, 25/19, 17/25 e 25/21, nesta sexta-feira, em Cuiabá (MT), pela semifinal da Copa do Brasil, sem nem precisar da ajuda do sistema de desafio, em que os técnicos podem pedir para que os árbitros revejam os lances polêmicos pelo monitor.

À espera do vencedor de Osasco e Sesi, que farão a outra semifinal, Fê Isis não escondeu a alegria com o prêmio de melhor em quadra, mas enalteceu o grupo e destacou a determinação em busca de uma vaga na final.

- Desde o primeiro jogo da Superliga e gente vem batalhando para chegar num momento como esse. Principalmente contra uma equipe como o Rio de Janeiro, que dispensa comentários, Acho que hoje tudo funcionou um pouco não desistimos em nenhum momento mesmo quando ficamos atrás do placar - afirmou Fê Isis.

O JOGO

Líder da Superliga invicto, o Rio de Janeiro até abriu o placar, mas começou a partida de forma sonolenta e errando demais - ao todo foram sete erros no primeiro set. Mesmo sem Rosamaria, segunda maior pontuadora da Superliga, poupada, o Pinheiros não tinha nada com isso. Com um saque forçado e um volume de jogo muito grande, a equipe paulista abriu 8/3 na primeira parada técnica.

vôlei, Pinheiros x Rio de Janeiro (Foto: Alexandre Arruda / CBV)

Apesar da bronca de Bernardinho, o time carioca continuou cometendo muitos erros na volta para quadra. O técnico da seleção brasileira mudou o time, fez a inversão do 5 em 1, mas de nada adiantou. Praticamente perfeito no ataque, o Pinheiros continuava voando em quadra e ampliou para 15/8.

Quando parecia que o set estava perdido, o atual campeão da Superliga parou de errar, fez cinco pontos seguidos e diminuiu o prejuízo para apenas dois. Wagão parou o jogo e quebrou o ritmo do time carioca. Na sequência, com um bloqueio encaixado, o Pinheiros voltou a comandar as ações e fez 24/18. O Rio ainda fez quatro pontos seguidos e até esboçou outra reação, mas um saque na rede definiu a vitória por 25/22 da equipe paulista.

A parcial seguinte começou bem mais equilibrada, mas o time paulista continuava melhor. Depois de chegar à primeira parada técnica vencendo por 8/7, o Pinheiros abriu 11/8 e fez Bernardinho parar o jogo. Na volta para quadra, tudo mudou. Com quatro pontos seguidos, a equipe carioca passou a frente e abriu dois pontos pela primeira vez na partida (14/12).

Mas a vantagem carioca durou pouco. Muito mais em função dos erros do Rio de Janeiro, o time paulista marcou três pontos seguidos, retomou a liderança e foi para mais um tempo técnico em vantagem. A parada acabou sendo boa para o Pinheiros, que se aproveitou da péssima recepção da equipe de Bernardinho e abriu 22/16. O Time carioca não se encontrou mais, e o Pinheiro fechou em 25/19 num bloqueio de Fê Isis sobre Natália.

Mesmo com uma confortável vantagem na partida, o Pinheiros começou com tudo o terceiro quarto e abriu 2/0. Mas o Rio de Janeiro não se entregava, e, numa passagem excelente de Natália no saque, virou para 8/4. Com um ataque pela saída de rede, Renatinha acabou com a sequência da atacante da seleção e diminuiu a vantagem carioca.
 
Com Régis no lugar de Bruna, o time do técnico Bernardinho se encontrou de vez e a vantagem aumentou para cinco pontos. Com Ellen no saque, o Pinheiros fez dois pontos seguidos e ainda esboçou uma reação. Mas ficou nisso. O bloqueio carioca passou a funcionar - foram três no set - e a vantagem seguia aumentando. Wagão ainda parou o jogo com 19/13 contra, mas o time carioca não dei qualquer chance de reação, fechou por 25/17 e diminuiu o prejuízo para 2 a 1.

A vitória na parcial anterior animou o Rio de Janeiro, que fez 3/1. Mas o Pinheiros estava vivo e virou para 4/3. Daí em diante, o set foi disputado ponto a ponto até a primeira parada técnica. Com 8/7 a favor, o time paulista voltou muito melhor, fez 5/1 e abriu 13/8. Irritado, Bernardinho perdeu a paciência e parou o jogo.

Apesar da parada, a equipe paulista manteve a consistência, continuou aproveitando seus ataques e levou a vantagem de cinco pontos até o segundo tempo técnico. A coisa piorou quando Ellen quebrou o passe do Rio e ampliou para 18/12. O Rio de Janeiro ainda reagiu, diminuiu a diferença para apenas um ponto, mas na reta final do set o Pinheiros voltou a ser mais regular e fechou o jogo com dois bloqueios sensacionais.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.