Header Ads

>

Sesc Rio vence Minas Camponesa no tie break e leva Supercopa




Líbero Fabi faz selfie com o restante do time campeão do Rio de Janeiro (Foto: Crisneive Silveira)

Não à toa o Rio de Janeiro foi campeão da Superliga e da Copa do Brasil. Nesta sexta-feira, em um ginásio repleto de torcedores em Fortaleza, a equipe do técnico Bernardinho teve trabalho, mas conseguiu vencer o Minas por 3 sets a 2. Destaque para Juciely, que entrou no decorrer do jogo e mudou o jogo, dando mais força ao Rio no bloqueio.

O Minas começou vencendo o primeiro set, mas após a entrada de Juciely, a partida mudou de rumo. Com um bloqueio melhor, o rio venceu os dois sets seguintes. A virada do Minas melhorou e o jogo foi para o tie-break. No quinto set, levou a melhor quem errou menos. Consistente, a equipe de Bernardinho faturou o tri da Supercopa.

O primeiro ponto do jogo nasceu de um ace de Pri Daroit, mas o segundo foi resultado de um bom rali entre as duas equipes, mostrando que não haveria jogo fácil. Melhor no bloqueio/defesa, o Rio de Janeiro abriu quatro pontos no início (11 a 7). Mas o Minas cresceu e aproveitou os erros do time de Bernardinho para virar (17 a 16). Foi com o bom trabalho de rede que o time mineiro conseguiu fechar o primeiro set, explorando o bloqueio adversário: 25 a 21).

O segundo set começou equilibrado. Ponto lá, ponto cá. Desequilibrou numa boa sequência de três saques de Rosamaria, que deu uma pequena vantagem ao Minas (6 a 3). Explorando bem o bloqueio adversário, o Minas manteve a diferença de três pontos, trabalhando principalmente com Rosamaria e Pri Daroit (14 a 11). O atual campeão da Superliga encostou, mas não conseguiu a virada graças a dois bons bloqueios de Mara (18 a 16). Ate que Bernardinho colocou Juciely em quadra e o jogo mudou. Mais consistente no bloqueio, o Rio conseguiu a virada no fim (22 a 25).

Com uma sequência de três bons saques de Mayhara, o Rio começou melhor o terceiro set (4 a 7). Melhor no bloqueio, muito pela entrada de Juciely no segundo set, o Rio foi abrindo (5 a 11). A diferença aumentou ainda mais (10 a 19) com os erros de recepção do Minas, que não se encontrou no terceiro set. O atual campeão da Superliga, com um saque bastante eficiente, dificultava a vida do adversário. O Minas cresceu no fim porque melhorou o bloqueio. Mas não deu para o time mineiro. Numa largadinha de Monique, o Rio fechou o terceiro set: 19 a 25.

O início do quarto set foi das líberos. Se Fabi recepcionava bem de um lado, Leia não deixava por menos, no outro. Na arquibancada, a torcida dava o reconhecimento devido com gritos e aplausos. A vantagem inicial foi do Minas (8 a 5). Com Mara voando no jogo e pontuando bastante com bloqueios, o time mineiro ampliou a vantagem no placar (20 a 12). Com folga no placar, restou administrar e empatar o jogo, levando a final para o quinto set (25 a 19).

O tie-break refletiu o que foi a partida: Equilíbrio. O Rio abriu dois pontos (5 a 7), mas o Minas logo tratou de buscar. O duelo seria decidido no detalhe. No bloqueio de Mayhara, o Rio abriu três pontos (9 a 12). Foi o suficiente. Bastou manter a vantagem. Fim de papo e tricampeonato para Bernardinho e companhia (10 a 15).

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.