Header Ads

>

UFJF vence Londrina, abre 9 pontos da Superliga B e encosta na 10ª colocação








Em um jogo fundamental para os dois times, a UFJF enfrentou na noite deste sábado (25) a equipe do Londrina/Sercomtel na "Arena Eu sou UFJF" pela 7ª rodada do 2º turno da Superliga Masculina de Vôlei. A equipe de Juiz de Fora lutou do início ao fim pelos três pontos, conquistados com a vitória de virada por 3X1, em um jogo emocionante que durou mais de duas horas. As parciais foram de 20X25/25X17/25X19/25X20. Com a vitória, a UFJF somou 14 pontos e encostou no 10º colocado, Montes Claros (15 pontos), seu próximo adversário em casa. Antes, na próxima quarta-feira, a equipe enfrenta o Medley, em Campinas, pela 8ª rodada. O Troféu Viva Vôlei foi para Rafael Baroni, que – jogando de ponteiro – foi fundamental no time e se destacou na partida com ataques precisos.

Em um jogo tenso, marcado por polêmicas de marcações e provocações entre as equipes, a UFJF mostrou superioridade e profissionalismo, levantando a torcida em cada ponto. O bloqueio e o ataque da UFJF se destacaram em toda a partida e foram essenciais para a vitória. Para o técnico Maurício Bara, o sábado foi marcante: "Estudamos muito o time do Londrina. Meu pai me ensinou que ninguém é insubstituível. Apostei nessa nova formação e deu certo".

Baroni, que até então jogava de líbero, comemorou o Viva Vôlei: "Nós estávamos devendo para a torcida e para nós essa vitória. Foi um jogo maravilhoso e nos dedicamos do início ao fim. Essa formação nunca tinha jogado junto. É um grupo que joga com o coração". O levantador Danilo Gelinsky comemorou e destacou a atuação de Baroni: "Essa vitória foi na raça e com a torcida empurrando. Muitos jogadores se machucaram durante a partida, mas a vontade de ganhar superou. Um comprou a responsabilidade do outro e o Baroni foi espetacular".

O jogo

A UFJF entrou em quadra com Hage, Folle, Diego, Clinty, Baroni, Gelinsky e Matheus Caporal como líbero. O primeiro ponto da UFJF foi de bloqueio triplo de Folle, Danilo e Hage. Diego no ataque rápido fez importantes pontos para a UFJF no primeiro set. No primeiro tempo técnico a vantagem era do Londrina, mas o time da UFJF mostrou garra. Clinty foi para o saque e Baroni finalizou com ponto de contra-ataque que bateu no bloqueio, mas foi para fora. O contra-ataque funcionou bem e Hage também fez a sua parte depois de saque de Baroni. A UFJF empatou em 10X10 com o ataque para fora do adversário após o saque de Folle. A partir daí o Londrina conseguiu ampliar vantagem, com saques e ataques fortes. Com bloqueio da Federal para fora, a equipe paranaense fechou em 25X20.

O ataque de Clinty fez o primeiro ponto da UFJF no segundo set. O jogo todo foi marcado por pontos polêmicos, mas a Federal correu atrás de cada ponto mesmo assim, fazendo um jogo bem equilibrado com o Londrina. O ataque de Hage empatou o placar em 6X6. A UFJF virou o jogo e fecha o primeiro tempo técnico em 8X6, com bloqueio duplo de Hage e Folle. Após o segundo tempo técnico, a bola do Londrina na antena faz com que a Federal virasse o jogo (18X17). Bloqueio individual de Folle abriu dois pontos de vantagem para o time da casa. Ampliando a vantagem, a UFJF abriu três pontos com o ataque de Baroni. O time de Juiz de Fora engrenou e, em bloqueio de Folle, fechou o set em 25X17.

No terceiro set, a UFJF voltou com a mesma disposição, abrindo logo 3X0, todos os pontos a partir do saque do levantador Gelinsky. O bloqueio da Federal, assim como no segundo set, funcionou bem, com destaque para Folle e Baroni, que fizeram bloqueios que levantaram a torcida da "Arena Eu sou UFJF". O levantador do Londrina, China, levou cartão amarelo da arbitragem e, com isso, a UFJF abriu três pontos (14X11). Com erro de saque do adversário, a Federal fecha o segundo tempo técnico em 16X13. Mais uma vez é o bloqueio do Folle que se destacou e a UFJF abre quatro pontos de vantagem (17X13). A partir daí foi só administrar até Clinty e Diego, no bloqueio duplo, fecharem o set em 25X19.

O time adversário abriu o placar no quarto set, decisivo para a UFJF. O set começou equilibrado, com as duas equipes se revezando no placar, mas a partir do 10º ponto a UFJF embalou, como um time de guerreiros, que explodiu em ataques e bloqueios. Diego, no bloqueio, abriu três pontos de vantagem (13X10). O time da casa fechou o segundo tempo técnico em 16X14, com o ataque de Baroni que bateu no bloqueio e foi para fora. Hage explodiu no ataque e fez 17X15. Clinty, no bloqueio, fez o 21º ponto e a UFJF ficou a quatro pontos da vitória. Baroni no ataque faz o 23º ponto e a torcida incendiou o caldeirão. Com o público todo de pé, Baroni, com seu forte ataque, fechou a partida em 25X20.

Tenha as melhores ofertas do Magazine Luiza: clique aqui!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.