Header Ads

>

Minas bate o Sesi no tie-break e vai às semis





http://www.vipcomm.com.br/site/upload/slfsesi2_wa_20031210211.jpg


Minas e Sesi já haviam feito duas partidas equilibradas nas quartas de final da Superliga feminina. E, na noite desta terça-feira, elas precisaram dos cinco sets para decidir quem ia para as semifinais. Mas a equipe da casa já havia vencido os seis tie-breaks que havia disputado na temporada e mostrou que é especialista na situação. Em duelo com belas jogadas, muita vibração e nervos a flor da pele, o Minas venceu por 3 sets a 2 em Belo Horizonte e passou para a próxima fase da competição nacional.

Na semifinal, o adversário será o Osasco, dono da melhor campanha da primeira fase e que não perde há 13 partidas. As datas das partidas ainda serão definidas.

O Minas até largou melhor na partida, aproveitando-se dos erros do Sesi. Mas, Elisângela chamou a responsabilidade do jogo para ela. Maior pontuadora da história da Superliga, ela foi também quem mais pontuou no primeiro set (nove vezes) e comandou a equipe paulista. Do outro lado, a cubana Herrera estava apagada e pouco pôde fazer pelas mineiras. Aos poucos, as visitantes foram abrindo vantagem e fechou a parcial por 25/17, justamente após ataque de Elisângela.

Para azar do Sesi, Herrera apareceu no segundo set. O bloqueio de Minas também, e a torcida mineira seguiu o mesmo ritmo. Foi então a vez do time da casa de sobrar em quadra. A vantagem já era de oito pontos no segundo tempo técnico (16/8) e seguiu aumentando. As visitantes tentaram reagir, mas já era muito tarde. Em mais um ataque de Herrera, as anfitriãs fecharam por 25/17 e empataram o duelo.

O nervosismo do Minas foi o destaque do terceiro set. Primeiro, quando o time perdia por 6/3, o técnico Jarbas Soares pediu tempo e teve uma discussão forte com a líbero Tássia. Depois, quando o time ensaiava uma reação, Daymi exagerou na comemoração, reclamou com o árbitro e recebeu o cartão, dando ponto para o adversário (12/10). Três lances depois, foi a vez do assistente-técnico Marco Queiroga levar o amarelo por reclamação (14/12). Aproveitando o destempero das rivais, o Sesi abriu vantagem na reta final e fechou o set em 25/22 depois que Soninha atacou, a bola bateu no bloqueio e foi para fora.

O Minas se reencontrou no quarto set e conseguiu comandar o placar, mas toda vez que tentava abrir distância, via a equipe paulista se recuperar e encostar. Foi assim durante todo o set, inclusive quando Natasha marcou um ponto de saque e as anfitriãs chegaram ao ponto do set (24/22). O Sesi salvou dois set points e deixou tudo igual novamente, mas cometeu dois erros logo em seguida e, em uma invasão de Dani Lins, o time mineiro fez 26/24 e levou o confronto para o tie-break.

A partida seguiu muito equilibrada no set decisivo. O Sesi era um pouco melhor, comandado especialmente pelos bons ataques de Sassá, mas o máximo que o time conseguiu foi abrir dois pontos na troca de quadra (8/6). As visitantes venciam por 12/10 quando as cubanas Herrera e Daymi passaram a fazer a diferença. Com quatro pontos seguidos, o Minas virou e chegou ao match point. A vitória veio no erro de Stephany, que havia entrado para sacar, mas mandou a bola na rede: 15/13 e 3 sets a 2.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.