Header Ads

>

Volei Futuro pára no bloqueio do Unilever e perde em casa





O jogo entre Vôlei Futuro e Rio de Janeiro, na noite desta terça-feira, maracava o retorno do time de Araçatuba às semifinais da Superliga, após quase um ano do acidente de ônibus que abalou a equipe. Também colocava em jogo uma invencibilidade de 12 partidas das donas da casa jogando no Ginásio Plácido Rocha. No entanto, as visitantes não ligaram para nada disso e quem roubou a cena foi o paredão carioca, que, com 19 pontos de bloqueio, garantiu a vitória do Rio por 3 sets a 0 (parciais de 25/17, 25/13 e 25/15) e a vantagem na disputa por uma vaga na final.

A levantadora Fernanda Venturini foi eleita a melhor jogadora em quadra. O segundo jogo entre as duas equipes acontece no próximo sábado, às 10h, no Maracanãzinho, com transmissão da TV Globo. O Rio precisa de mais uma vitória para chegar à decisão. Já o time paulista tem que ganhar para forçar o jogo 3, também no Rio.

Vôlei Futuro x Rio de Janeiro semifinais (Foto: Pierre Duarte/Vipcomm)

Paredão, muralha... o jogo dos bloqueios

O Vôlei Futuro começou embalado, assim como sua torcida que não parava de cantar, e abriu 3/0 no placar. Mas não demorou para o Rio de Janeiro entrar no jogo e mostrar que a partida seria decidida nos bloqueios. As visitantes marcaram duas vezes no fundamento e viraram para 7/5. Até a levantadora Fernanda Venturini entrou na dança e parou o ataque de Paula Pequeno (14/11). A distância no marcador foi aumentando e o paredão formado pela dupla Régis/Juciely anotou mais dois pontos de bloqueio (23/15) e encaminhou a vitória na primeira parcial em 25/17.

sheila rio de janeiro vôlei (Foto: Luiz Doro/Adorofoto)

Apesar da derrota no set inicial, os torcedores de Araçatuba continuaram apoiando. Mas parece que as donas da casa não ouviam os gritos de incentivo das arquibancadas. Desatentas em quadra, as jogadoras do Vôlei Futuro erravam demais e permitiram que o Rio de Janeiro abrisse vantagem. Depois de dois erros de recepção da americana Stacy, a torcida gritou o nome da líbero reserva, Vere, e o técnico Paulo Rego atendeu o pedido. No entanto, já era tarde para tentar mudar o rumo do set. As cariocas marcaram mais três pontos de bloqueio, chegando aos dez na partida, e abriram 12 pontos para fechar em 25/13.

O Rio voltou para o terceiro período decidido a fechar o jogo em 3 sets a 0 e foi logo abrindo vantagem (8/5). Mas o Vôlei Futuro não se entregou fácil, reagiu e empatou a partida em 11/11. Foi aí que a arma do jogo voltou a funcionar. A equipe carioca marcou mais nove pontos de bloqueio no set, totalizando 19 no jogo, e não teve problemas para finalizar a última parcial em 25/15. A muralha Regiane, com seis pontos de bloqueio, comandou o paredão do Rio na vitória por 3 a 0.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.