Header Ads

>

Superliga deixa clubes 'inativos' por 7 meses






Superliga de apenas três meses deixa as equipes sem competições na maior parte do ano
Superliga de apenas três meses deixa as equipes sem competições na maior parte do ano

Única competição nacional de vôlei no país, a Superliga acontece todos os anos começando entre novembro e dezembro e terminando em abril. Depois dos quase quatro meses de competição forte, no entanto, os clubes acabam ficando 'inativos' pelo resto do ano, tendo apenas uma ou outra competição regional que 'preenchem' o calendário, enquanto o resto da temporada fica para treinos e eventuais amistoso para ganhar ritmo antes do campeonato nacional.

A falta de competições ao longo do ano acaba se tornando outro empecilho para os clubes conseguirem patrocinadores para as suas equipes - sem jogar, o time traz menos visibilidade para a marca, que perde o interesse em investir nele ou, no mínimo, oferece valores mais baixos que acabam não suprindo todas as despesas, como salários, viagens e toda a estrutura necessária para o clube se manter.

Pelo calendário atual, as equipes de vôlei têm a Superliga para disputar entre novembro e abril e, depois disso, terão somente os estaduais, que acontecem, em geral, entre agosto, setembro e outubro. Campeonatos como o Mineiro, o Carioca e o Gaúcho, no entanto, têm poucos times e a duração deles é de apenas um mês, em média, o que faz com que os clubes sigam buscando alternativas de se manterem 'ativos' com amistosos ou quadrangulares preparatórios para a Superliga.

Divulgação
Gustavo se revolta com falta de união dos clubes
Gustavo se revolta com falta de união dos clubes


O único campeonato estadual que consegue juntar mais equipes para fazer um torneio com um maior volume de jogos é o Paulista, que tem sete times no feminino e oito no masculino. Ainda assim, a competição dura apenas dois meses ou um pouco mais do que isso. Já em Minas, a situação é ainda mais crítica: no masculino, cinco clubes disputam o título com apenas um mês de jogos, enquanto, no feminino, apenas duas equipes participaram do campeonato neste ano, que acabou virando um quadrangular.

A situação nos outros estados que têm times participantes da Superliga é a mesma. Quatro ou cinco equipes que disputam o título do estadual por um mês e, depois disso, agendam amistosos para manterem o elenco 'em forma' antes de disputar a competição nacional.

Mas o 'excesso de férias' já está começando a incomodar alguns jogadores, que gostariam de ter mais competições ao longo do ano até para possibilitar o crescimento e desenvolvimento do esporte. E eles têm se manifestado até mesmo pelas redes sociais sugerindo melhorias para que todos - tanto os clubes, quanto a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) - saiam ganhando.

O meio-de-rede Gustavo, por exemplo, que já é um veterano do vôlei e foi campeão olímpico com a seleção brasileira, é um dos que comenta o assunto frequentemente pelo Twitter. Atualmente jogando no Canoas Vôlei (RS), o central iniciou um 'debate' sobre o tema pela rede social quando ainda faltava um mês para a Superliga começar e ganhou apoio de outros jogadores.
Divulgação
Murilo sugere 'Copa do Brasil' para preencher calendário
Murilo sugere 'Copa do Brasil' para preencher calendário


"Pergunta pra vcs,a Superliga já podia ter começado não?? Pq temos q fazer tudo sempre na correria?? Culpa da desunião dos clubes. Na minha opinião se os clubes não se unirem e ouvirem os atletas teremos sempre 3 meses e meio a 4 meses de Superliga. #Ridiculo", escreveu Gustavo. "Tira-se um mês de ferias sobram 11,4 de Superliga,sobram 7 meses pra disputar o que?? Regionais??Mas e a visibilidade nacional?? Desse jeito vai ser cada vez mais difícil conseguir patrocinadores pra toda uma temporada q tem visibilidade nacional de 4 meses" (sic), questionou.

Para solucionar essa questão, Murilo, que joga no Sesi, é irmão de Gustavo e o grande nome do vôlei brasileiro atualmente, sugeriu um novo campeonato: uma 'Copa do Brasil' para ser disputada pelas melhores equipes nacionais e preencher o resto do calendário.

"Todos os anos, pedimos a criacao da Copa do Brasil,seria em Janeiro,um fim de semana com os 8 melhores! @Gustavollei dificil entender!unica explicacao seria que os clubes nao só aceitam como gostam da superliga do jeito que esta. Como Prefeito da Superliga vou criar a Copa do Brasil para proxima temporada!", brincou o ponteiro, sugerindo uma mudança séria para o calendário.

A discussão ainda veio à tona de novo há duas semanas, também com Gustavo, que sugeriu a união dos clubes de vôlei do Brasil para conseguirem essa mudança no calendário nacional, ampliando o número de competições e beneficiando os atletas.

Ainda assim, por enquanto, a questão não saiu da  rede social, e a Superliga que começa neste final de semana ainda terá apenas pouco mais de três meses de duração. Tenha as melhores ofertas do Magazine Luiza: clique aqui!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.