Header Ads

>

Dante aponta Itália como maior rival para vôlei do Brasil em 2016






Aos 32 anos, Dante é um dos jogadores mais experientes da seleção brasileira de vôlei. Dono de três medalhas olímpicas, uma de ouro e duas de prata, o ponteiro acredita que nas Olimpíadas de 2016 o Brasil terá concorrentes de peso e cita a Russia, a Polônia e, principalmente, a Itália como adversários muito perigosos para os  brasileiros

- A Rússia é uma seleção com garotada nova, que ganhou da gente em Londres. Itália é sempre perigosa. Polônia, se conseguir. Eles tiveram um começo de ano maravilhoso, mas na hora do vamos ver não conseguiram um bom resultado. Sempre tem que ficar atento. Aposto muito na Itália porque a seleção que joga hoje é a que jogou o Mundial, Liga e Olimpíadas. É extremamente jovem e que vai estar no ápice da sua  experiência em 2016 - afirmou.

Longe das competições internacionais, o jogador que defende o Rio de Janeiro na Superliga não perde o contato com seus companheiros de seleção. Alguns inclusive jogam na mesma equipe de Dante, como Bruninho e Lucão. Para os Jogos Olímpicos do Rio, ele acredita que Bernardinho deve fazer pequenas alterações na equipe, mas aponta os jogadores que podem fazer a diferença.

- Acredito que a base deve se manter: Bruno, Murilo, Cidão, Lucão, Visotto, Wallace, Serginho (Mário Jr ou Allan). Lucarreli vai explodir logo, logo. O Renan, que é um menino de São Bernardo, oposto que vai brigar com o Visotto e o Wallace. Téo, do RJX, e talvez o Bernardinho traga o Rafa, de Trento.

Dante usa exemplo de filho como inspiração para continuar vencendo (Foto: Divulgação)

Pai de um casal de filhos, Dante recebeu a visita do "Tá na Área" e mostrou um pouco da sua casa no Rio e afirmou que não imaginava que conquistaria tantos títulos em sua carreira. Além das medalhas olímpicas, ele também é cinco vezes campeão sul-americano, três vezes campeão mundial e tem dois títulos da Copa do Mundo. Sem contar os sete títulos da Liga Mundial, tudo isso em apenas dez anos.

- Se você perguntasse em 1999, você vai ser tricampeão mundial, vai ter tês medalhas olímpicas, uma de ouro e duas de prata, três finais consecutivas de Olimpíadas, durante uma década, eu ia dizer que você está mentindo. Eu almejava chegar à seleção, conquistar títulos, mas o que nós conquistamos não estava na cabeça de ninguém - afirmou.

Essa garra para continuar conquistando títulos Dante afirma que vem da sua família e seu maior exemplo é o filho caçula. Antônio nasceu com uma má formação congênita no coração, passou por uma cirurgia e precisou lutar para sobreviver. Para o ponteiro, a força e a vontadade de vencer do filho o inspira durante as competições

- É um ensinamento diário. Ele ensina cada dia que passa, é um ensinamento de força de vontade. Ele vale por todas as medalhas que eu conquistei.


Tenha as melhores ofertas do Magazine Luiza: clique aqui!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.