Publicidade

Header Ads

Canoas vence Sesi e começa série em vantagem


 Nem mesmo o apagão no primeiro set atrapalhou o alto nível de vôlei na primeira partida das quartas de final da Superliga entre Sesi-SP e Canoas. Por conta da forte chuva que caiu na cidade de São Paulo, a energia acabou na Vila Leopoldina e deixou o duelo paralizado por 22 minutos. Na quadra, os visitantes saíram na frente, sofreram a virada, mas abusaram dos saques forçados e dos bloqueios de Gustavo para passar à frente. Seu irmão, Murilo, tentou, foi decisivo no segundo e terceiro set, mas caiu de produção junto com toda a equipe paulista e não impediu a derrota por 3 sets a 2 (25/21,17/25, 22/25, 25/20 e 15/11)

A luz acabou em um momento que o Canoas era muito superior na partida. O ocorrido não foi o suficiente para impedir a vitória da equipe do Sul, mas recolocou o Sesi no jogo e incendiou os torcedores presentes no ginásio. Durante a paralização, o técnico Paulão temeu que seus comandados perdessem o forte ritmo que vinham imprimindo ao duelo.

- Eu não gosto de tirar conclusões precipitadas, mas, se é no Rio Grande do Sul, a gente recebe multa, advertência, um monte de coisa. Isso é bom para que os organizadores entendam que muita coisa está fora do alcançe de quem organiza e faz a gestão. Vão botar a culpa no temporal? Então não faz jogo em São Paulo nesse horário. Todo mundo sabe que no verão, essa hora falta luz, tem enchente. Isso é histórico. Meu time estava super bem, e agora esfriou - esbravejou o técnico do Canoas.

As equipes voltam a se enfrentar na quinta-feira, às 18h, no Ginásio Unilasalle, em Canoas. O SporTV transmite o confronto. Se houver necessidade da terceira partida, ela será disputada no próximo sábado, em São Paulo.

O jogo

 O Canoas começou melhor. Com saques forçados e jogadas rápidas, a equipe do Rio Grande do Sul se impôs fora de casa e chegou a abrir 6 pontos de diferença. O Sesi tentava reagir com a intensidade do jovem Aracaju, e renovou as esperanças quando o bloqueio começou a funcionar.

Quando parecia que o set se encaminhava para uma vitória tranquila do time gaúcho, a forte chuva na cidade de São Paulo derrubou a energia do ginásio, que ficou sem luz por 22 minutos. Os atletas da equipe paulista, embora timidamente, comemoraram o ocorrido.

- Eles começaram com um ritmo muito mais forte que o nosso. Para nós, foi até legal ter acontecido isso. Lógico que para o jogo é ruim, para quem tá assistindo, também - comentou o ponteiro Cléber

E funcionou. Com Éder no saque, o Sesi anotou quatro pontos seguidos, equilibrou as ações da partida e colocou fogo no jogo. A disputa era ponto a ponto, mas o fato do time paulista ter acordado não foi suficiente para mudar o rumo do jogo no primeiro set. No fim, o Canoas fechou em 25 a 21 após bela largadinha de Xanxa e fez 1a 0.

O baque inicial acordou os donos da casa. Na segunda etapa, Lorena e Murilo chamaram a responsabilidade e lideraram o Sesi em um arrasador 25 a 17. A vibrante atuação dos paulistas acordaram a torcida, que passou a jogar junto com o time e vibrar a cada bola no chão da quadra do Canoas.

No terceiro set, mais uma vez a igualdade prevaleceu. Os paulistas se mostraram mais concentrados e conseguiram segurar uma vantagem de dois pontos ao longo de toda a etapa. No fim, as jogadas foram concentradas no meio de rede, e os donos da casa venceram por 25 a 22.

O Sesi começou pressionando na quarta etapa e chegou a abrir uma boa vantagem. Porém, um pedido de tempo do técnico Paulão foi essencial para renovar o ânimo dos gaúchos. Com uma atuação impecável de Gustavo e ótimo aproveitamento de saque de Xanxa, o Canoas virou e venceu por 25 a 20.

Os animos se exaltaram no tie-break. O Sesi-SP mostrou nervosismo e passou a errar lances simples. A equipe do Rio Grande do Sul se aproveitou e começou a conquistar pontos decisivos no bloqueio de Gustavo e nas diagonais de Xanxa. No fim, Mão errou o saque e deu a vitória ao Canoas.




Postar um comentário

0 Comentários