Header Ads

>

Sada/Cruzeiro vence o Volta Redonda e espanta a zebra






Quase ninguém esperava que Cruzeiro e Volta Redonda decidissem uma das vagas nas semifinais da Superliga masculina de vôlei na terceira partida. Afinal de contas, a equipe mineira terminou a primeira fase da competição na segunda colocação geral, atrás apenas do Rio de Janeiro. Os cariocas, por sua vez, se classificaram somente na última rodada, na sétima posição geral. Mas foi o que aconteceu. Um terceiro jogo foi necessário, e o Cruzeiro, para espantar de vez a possibilidade de zebra, bateu os adversários por 3 sets a 1 (25/23, 25/15, 20/25 e 25/21).

vôlei Cruzeiro (Foto: Rodrigo Fuscaldi)

Na primeira fase, Cruzeiro e Volta Redonda se enfrentaram duas vezes, e a equipe celeste conquistou duas vitórias, ambas por 3 sets a 1. No primeiro jogo das quartas de final, a Raposa foi novamente superior e bateu o Voltaço por 3 sets a 0, no ginásio do Riacho. Porém, um resultado inesperado, no Rio de Janeiro, causou espanto. No segundo confronto das quartas, o Volta Redonda, com um jogo praticamente perfeito, ganhou por surpreendentes 3 sets a 2.

A derrota serviu para o Cruzeiro buscar novamente o foco, recuperar a concentração e reencontrar o melhor jogo. Na tarde deste sábado, o que se viu no ginásio em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi um time que lutou o tempo inteiro pela vitória, que marcou o adversário com afinco e que atacou com precisão. E, principalmente, que vibrou muito.

A cada ponto marcado, os jogadores comemoravam muito e pediam, a todo tempo, a apoio do torcedor, que, como de costume, foi fundamental. Cerca de duas mil pessoas marcaram presença no ginásio e empurraram o time celeste para as semifinais. O calor humano foi muito grande, mas o que chamou a atenção de todos, além do excelente jogo apresentado pelo Cruzeiro, foi o cheiro de churrasco, vindo das barraquinhas de ambulantes, que tomou conta do ginásio.

Agora, o adversário será o vencedor do confronto entre Sesi e Canoas, que se enfrentarão, também no terceiro jogo, neste sábado, às 21h30m (de Brasília), na Vila Leopoldina, em São Paulo. A outra semifinal já está decidida e será entre Rio de Janeiro e Minas.

Baile celeste e churrasco

Sob o comando do levantador William, o Cruzeiro começou muito bem o jogo. Aos poucos, com ótima participação de Leal e Wallace, que falharam muito na partida em Volta Redonda, a equipe da casa começou a abrir. À frente do placar durante todo o tempo, a Raposa somente se sentiu acuada no fim. O Cruzeiro chegou a abrir 23/18, mas cedeu espaço, e o Volta Redonda esteve muito perto de empatar. Porém, em um ataque de meio de Douglas Cordeiro, o mais eficiente da equipe mineira, com cinco pontos no set, o Cruzeiro fechou: 25/23.

No segundo set, a superioridade técnica do Cruzeiro ficou ainda mais evidente. A vitória fácil por 25/15 mostrou quem era o time que passaria às semifinais da Superliga. O detalhe é que, no meio do set, uma fumaça tomou conta do ginásio. No início, houve uma preocupação com um possível incêndio, mas o cheiro que tomou conta do ambiente logo deu a dica do que estava acontecendo. Ambulantes, do lado de fora do Riacho, vendiam espetinhos de churrasco e, com o vento, a fumaça entrou na quadra. Imediatamente, membros da comissão técnica do Cruzeiro pediram para a segurança tomar providências e retirar o churrasqueiro daquela posição.

Com a visibilidade restabelecida, o terceiro set recomeçou. E foi tenso. O Volta Redonda, no último esforço para se manter vivo na competição, se mostrou mais agressivo, no saque, no bloqueio e no ataque. Os ânimos se acirraram, e, quando a partida estava 15/14 para o Cruzeiro, o árbitro deu dois cartões amarelos, um para cada time. Nezinho, do Volta Redonda, e Leal, do Cruzeiro, foram advertidos. A partir daí, o time carioca, no saque de Alberto, fez uma sequência incrível de pontos e abriu 19/15. Com muita emoção, a disputa foi acirrada até os pontos finais, e o Voltaço levou a melhor: 25/20. Na virada de quadra, mais discussões, entre Nezinho e William. O torcedor cruzeirense tomou as dores e começou a pegar no pé dos jogadores cariocas.

Torcida Cruzeiro vôlei (Foto: Rodrigo Fuscaldi / Globoesporte.com)

O Cruzeiro sentiu o golpe, e o Volta Redonda cresceu muito na partida. Com um saque forçado, o time carioca manteve o jogo equilibrado no quarto set. Em compensação, os erros da equipe mineira, principalmente no saque, se acumulavam. O torcedor celeste, então, percebeu que tinha que "entrar" em quadra. Cientes da dificuldade da partida, os torcedores incendiaram o ginásio. No segundo tempo técnico, o Voltaço vencia por 16/15, e o jogo seguiu equilibrado. Porém, Douglas Cordeiro, pela eficiência, e William, pela liderança e vibração, conduziram os mineiros à vitória: 25/21.

 


Tenha as melhores ofertas do Magazine Luiza: clique aqui!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.