Publicidade

Header Ads

Brasil vence Polônia na estreia da Liga Mundial


As peças mudaram. Não havia mais Serginho, Giba, Rodrigão e Ricardinho. Mas sobrava a vontade de suprir a falta dos quatro medalhões e iniciar o novo ciclo olímpico com o pé direito. Mesmo que do outro lado estivesse a Polônia, a atual campeã da Liga Mundial. Nesta sexta-feira, em Varsóvia, apesar de um momento de desconcentração no terceiro set, a reformulada seleção brasileira venceu a partida por 3 sets a 1, parciais de 25/22, 25/20, 22/25 e 25/15. Um dos grandes nomes do confronto foi o caçula Lucarelli. O ponteiro de 21 anos, que estreou no torneio como titular, superou o nervosismo inicial e terminou o confronto como o maior pontuador, com 17 acertos.
Ricardo Souza vôlei Brasil contra Polônia (Foto: EFE)

O jogo
Com Lucão e Eder fazendo bom trabalho pelo meio, o Brasil fugiu sem muita dificuldade no placar (6/2). Foi o suficiente para Andrea Anastasi pedir tempo. Depois dali, seus comandados passaram a se organizar melhor em quadra. O bloqueio fechou a porta para Lucarelli, que parecia pouco à vontade em sua estreia com titular. Além de Kurek, a Polônia encontrava facilidade pelo meio de rede, foi encostando no placar e não demorou para tomar o comando do marcador (10/9). Um toque na rede de Bruninho, um novo bloqueio sobre Lucarelli, um erro de saque de Lucão foram enchendo ainda mais os adversários de confiança (14/11).
O Brasil se aproximava novamente, e William Arjona deixou o banco e vibrou ao conseguir, no primeiro levantamento em sua estreia na competição, deixar Lucão livre para empatar. Depois da chamada de Bernardinho, Lucarelli também respondeu. Com um bloqueio simples, fez 18/17 para a seleção. Os donos da casa reagiram, mas não tiveram como evitar o bom momento brasileiro na reta final do primeiro set. Um ataque para fora da Polônia, Bruninho e seus companheiros comemoravam: 25/22.
Éder vôlei Brasil contra Polônia (Foto: EFE)Éder encara o bloqueio duplo da Polônia
(Foto: EFE)
Na parcial seguinte, Bruninho distribuía bem as bolas, Lucarelli arrancava pontos preciosos no saque, e Dante encontrava espaços para manter o Brasil em vantagem (12/8). Do outro lado, Kurek chamava a responsabilidade e equilibrava novamente o jogo. Mozdzonek também subia sem marcação, e o adversário dava pontos de graça com erros de saque e desperdiçando ataques. Um ace de Bartman  e lá estava outra vez a Polônia na cola (17/16). O Brasil não se abateu e encontrou em Vissotto a melhor opção para sair do sufoco. Mário Junior também fazia boas defesas, e a equipe vibrava. Com Lucão, o segundo set foi para o bolso: 25/20.
Polônia esboça reação, mas Brasil fecha a conta
Anastasi pedia mais agressividade aos seus comandados após ver o Brasil abrir 4/1. Aos pouquinhos, os anfitriões iam recuperando a confiança. Tiravam proveito das bobeadas da seleção, apostavam no saque e ganhavam fôlego. A virada veio. Kubiak subia de produção, e o time agradecia (13/10). O Brasil tentava se ajustar e contou com as falhas do adversário para retomar o controle da partida (19/18). Kurek pedia bola, mantinha viva a esperança polonesa. O saque de Lucão que parou na rede fez a arquibancada respirar aliviada: 25/22.
O Brasil retomou a concentração e começou melhor o quarto set. A  boa passagem de Lucarelli pelo saque devolveu o sorriso aos rostos dos jogadores. Com a vantagem rodando na casa dos cinco pontos, a seleção via Kurek sentir a pressão. Já errava saque, um ataque aqui e outro ali e ainda dava um toque na rede. Para piorar, Bartman não conseguia passar pelo bloqueio de Lucão (17/9). Sem sustos, a equipe verde-amarela caminhou para a vitória. No último lance do jogo, Bruninho levantou para Lucarelli, que acertou uma cortada na diagonal, com muita categoria, coroando a estreia pela Liga Mundial em grande estilo.



Postar um comentário

0 Comentários