Publicidade

Header Ads

Juliana se retrata em nota oficial


Juliana treino vôlei de praia (Foto: Divulgação / CBV)
Cortada da seleção brasileira de vôlei de praia pela segunda vez em maio deste ano, Juliana se retratou de forma oficial nesta sexta-feira. Através da nota enviada por sua assessoria de imprensa, a jogadora pediu desculpas à Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), citando nominalmente o técnico Marcos Miranda e o superintendente Tadeu Saad, e disse estar trabalhando para voltar a defender o Brasil em competições internacionais.
Com a criação das seleções de vôlei de praia, Juliana foi convocada juntamente com mais 11 jogadoras para integrar o grupo feminino que treinaria no Centro do Desenvolvimento do Voleibol, em Saquarema. A jogadora não se apresentou - posteriormente alegou ter avisado à entidade por e-mail - e foi cortada pela CBV. Reconvocada em março, a santista treinou por três dias até dar duras declarações à imprensa, criticando o novo formato.  A direção da CBV não gostou do tom das declarações e optou pelo desligamento da atleta. Fora da seleção, ela não pode competir no Circuito Mundial e defender seu título no Mundial de Stare Jablonki, na Polônia, em julho.

Confira a nota na íntegra:
Venho, por meio deste comunicado, afirmar que me equivoquei em minhas primeiras declarações sobre a formatação da seleção brasileira de vôlei de praia. Quando ainda passava pela adaptação ao novo modelo, expus uma opinião ainda em formação à imprensa. Admito que três dias não são suficientes para avaliar um sistema de trabalho. Deveria ter me dado tempo de conhecer e entender melhor o projeto. E, principalmente, deveria ter apresentado minhas considerações diretamente aos meus superiores na seleção. Errei.

Desta forma, venho a público me desculpar com toda a comissão técnica, em particular com o treinador Marcos Miranda, com o superintendente de vôlei de praia Tadeu Saad, a Confederação Brasileira de Vôlei, colegas de trabalho e todos os amantes do vôlei que me apoiam e que esperam poder me ver competindo novamente pelo Brasil e conquistando medalhas, como fiz nos últimos 10 anos. 

Quero deixar claro que nunca fui contra o processo de criação da seleção de vôlei de praia. Estou certa de que a CBV está fazendo todos os esforços para deixar nossa modalidade ainda mais forte. Permaneço trabalhando e treinando muito para que eu possa voltar a representar meu país de maneira profissional e apaixonada, junto com esse grupo que reúne as melhores atletas do Brasil.
Juliana Felisberta da Silva
Atleta de vôlei de praia


Postar um comentário

0 Comentários