Header Ads

>

Brasil terá Rússia e EUA como rivais na 2ª fase





O Brasil encerrou sua participação na primeira fase do Mundial da Itália em primeiro lugar no Grupo B, após superar por 3 sets a 1 a Sérvia, neste domingo, em Trieste. Foram cinco vitórias em cinco jogos e apenas três sets perdidos. Contra a Bulgária, Camarões e Canadá, foram três triunfos fáceis por 3 sets a 0. O confronto mais difícil foi contra a Turquia, quando a seleção precisou reagir e vencer de virada: 3 a 2. Apesar do resultado positivo no fim, a equipe do técnico José Roberto Guimarães acabou perdendo um ponto no somatório de pontos levados para a segunda fase. Na próxima etapa, as brasileiras chegam atrás apenas das americanas, que avançaram com 100% de aproveitamento. É justamente diante delas, da Rússia e de outros cinco equipes que o país estará na briga pelas três vagas disponíveis para a terceira fase do torneio.

 Brasil x Sérvia vôlei feminino (Foto: Divulgação/FIVB)

Depois de Trieste, a próxima parada da seleção será em Verona. Na segunda fase, o Brasil passa a fazer parte do Grupo F ao lado dos outros três melhores da sua chave na primeira fase (Sérvia, Bulgária e Turquia) e os outros quatro melhores do Grupo C (Rússia, Estados Unidos, Holanda e Cazaquistão). São justamente os rivais do C que o time do técnico José Roberto Guimarães medirá forças. Os três países melhores classificados desses oito avançam para a terceira fase, quando se juntam aos três melhores do Grupo E. Destes seis times, saem os quatro semifinalistas. 

- Acho que essa fase foi boa. Fizemos uma grande partida contra a Bulgária, depois tivemos dois jogos mais fáceis. A partida contra a Turquia foi uma grande lição, passamos um sufoco danado e entendemos coisas que precisávamos melhorar. Contra a Sérvia, já fomos melhores. Fomos mais precisos, agredimos um pouco mais no saque e melhoramos um pouquinho o sistema defensivo. Mas eu acho que ainda pode ser melhor – avaliou o técnico José Roberto Guimarães.

O primeiro adversário na segunda fase será o fraco time do Cazaquistão, na próxima quarta-feira, às 15h (de Brasília). Nos três jogos seguintes, no entanto, terá de enfrentar duas das maiores potências do vôlei feminino: Rússia e Estado Unidos (sábado e domingo, respectivamente), além da Holanda, na quinta. Um fator que preocupa é que o Brasil passou para a segunda fase com um ponto a menos que os Estados Unidos, já que perdeu para Turquia por 3 a 2 e os resultados dos confrontos com os times que avançaram são levados para a etapa seguinte. 

- Isso sempre preocupa (começar com um ponto a menos). Vamos ter o Cazaquistão no primeiro jogo e a Holanda, que está jogando muito bem. Temos que construir pontos exatamente para tentar ampliar a vantagem. Depois, temos que nos preparar para a Rússia e para os Estados Unidos. Esse crescente também é bom para gente - disse Zé Roberto.

volei eua x russia (Foto: Divulgação/FIVB)

Apesar de reconhecer que o Brasil não terá um caminho fácil diante de duas grandes potências, o treinador lembrou que Estados Unidos e Rússia também não terão vida fácil na segunda fase. Além da seleção brasileira, pegarão Bulgária, Sérvia e Turquia. 

- Estados e Unidos e Rússia também vão pegar os adversários que nós pegamos aqui. Alguns deles ainda têm chance. Tem a Bulgária com três pontos, e a Turquia com dois. Então, são jogos que os caras vão ter que correr também para depois pegar Sérvia e Brasil. Então, eles também têm uma parada difícil pela frente.

O Brasil estreia na segunda fase na quarta-feira, contra Cazaquistão, e pega a Holanda no dia seguinte. No sábado e no domingo terá pela frente Estados Unidos e Rússia, respectivamente. Todos os jogos serão às 15h, no horário de Brasília,

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.