Header Ads

>

Sesi e Taubaté abrem a final do Paulista de vôlei





Em São Paulo, Sesi e Taubaté abrem a final do Paulista de vôlei



Lucão, Lucarelli, Sidão, Lipe, Rapha e Felipe. Mais parece a escalação da Seleção Brasileira de vôlei, mas são apenas alguns dos astros de Sesi-SP e Taubaté, que estarão em quadra nesta segunda-feira pelo primeiro jogo da final do Campeonato Paulista. Bases do time do técnico Bernardinho que foi vice-campeão mundial este mês, as duas equipes jogam na Vila Leopoldina às 21h

No lado paulistano, a busca pela quinta taça. Atul tricampeão do Campeonato Paulista, o Sesi chegou em todas as finais estaduais desde 2009, e dessa vez não foi diferente. Após uma primeira fase de altos e baixos, ficando em quarto lugar sem suas principais estrelas, o time alcançou a final após bater o favorito Campinas, e com requintes de crueldade: após perder o segundo jogo por 3 sets a 0, garantiu a classificação no golden set.

Já em Taubaté, a expectativa do primeiro título. O time do Vale do Paraíba faz sua segunda participação no Campeonato Paulista, e chegou até sua primeira final. Com um elenco renomado, cheio de jogadores experientes, os taubateanos conseguiram a vaga após duas boas vitórias contra o rival regional São José, e terão a vantagem de decidir em casa. Na primeira fase, apenas duas derrotas e o segundo lugar geral.

Na primeira fase do Campeonato Paulista, Sesi e Taubaté se enfrentaram em Santos, com mando paulistano. A vitória foi da equipe do Vale do Paraíba: 3 sets a 1 (20/25, 25/22, 19/25, 19/25). O segundo jogo da final acontece no ginásio do Abaeté, em Taubaté, às 13h do próximo sábado (25).

Após deixar Campinas com a vaga assegurada para mais uma final de Campeonato Paulista, o técnico do Sesi, Marcos Pacheco, não escondeu o alívio em poder contar com sua equipe completa para a decisão. Seu único desfalque será o ponta Murilo, que passou recentemente por uma cirurgia. Mas os vice-campeões mundiais Lucão e Lucarelli estarão à disposição.

Para Pacheco, o fato de as duas equipes estarem quase compleas equilibra a final, e deixa o confronto sem favoritos. "Isso equilibra a final. São duas equipes que passaram pela mesma realidade. São dois times com grandes jogadores, tops mesmo, que passaram por dificuldade parecida no início da temporada e agora contam com seus elencos completos. Assim, o jogo fica muito equilibrado e extremamente aberto", disse o técnico, ao site da Federação Paulista de Vôlei.

Além de Lucão e Lucarelli, que já atuaram nas semifinais, o Sesi terá reforços do quarteto campeão sul-americano Sub-22 pela Seleção Brasileira: Aracajú, Thiaguinho, Douglas e Fabio estarão disponíveis. 

Para o levantador Marcelinho, capitão do clube paulistano, a vitória contra o Campinas no golden set deu ao Sesi a motivação necessária para buscar mais um título. "Ganha moral, mas a gente teve muita dificuldade e precisa melhorar. Temos que arrumar o time e não tem muito tempo até segunda. Mas, para o futuro, a gente precisa melhorar muita coisa. No golden set era nossa última chance, erramos menos, jogamos com mais inteligência e conseguimos fechar. Agora, mesmo com pouco tempo, temos que ter na cabeça que precisamos errar bem menos nessa final", afirmou.

 

Nessa segunda-feira, o Taubaté faz o jogo mais importante de sua curta história. Em seu segundo ano nas quadras, o time disputa o primeiro jogo da final do Campeonato Paulista motivado pela presença de suas principais estrelas. Além de Sidão, Lipe, Rapha e Felipe, que estavam na seleção de Bernardinho este mês, o clube aposta na boa fase de seus principais destaques neste paulista: o campeão olímpico Dante e o oposto Lorena, principal nome dos últimos confrontos.

O camisa seis foi o melhor jogador em quadra no segundo jogo da semifinal contra São José. Depois de ver o Taubaté perder o primeiro set, o oposto inflamou a torcida, e, chamando o jogo para si, ajudou a garantir a classificação. "Terminamos esse jogo destruídos e agora temos pouco tempo para nos recuperarmos para a final", disse o jogador, se referindo ao pouco espaço de tempo entre a semifinal e o primeiro confronto da decisão (três dias).

O jogador afirma que o confronto é equilibrado, mas aposta em um diferencial taubateano: o levantador Rapha, que voltou ao Brasil após 11 anos na Europa e foi eleito o melhor jogador da Champions League da última temporada. "O Rapha é diferenciado. Está entre os melhores levantadores do Brasil e do mundo. Faz o jogo ficar muito mais rápido. Isso vai nos ajudar mais ainda. Mas precisamos evoluir muito ainda. Tivemos pouco tempo de treinar desde que o pessoal voltou da Seleção. É um time de guerreiro, de raçudos. É assim que temos jogado e isso nos favorece bastante", afirmou Lorena ao globoesporte.com.

Responsável pela montagem do elenco de estrelas, o supervisor da equipe taubateana, Ricardo Navajas, aposta em um duro confronto, mas garante que a meta de Taubaté é só uma: a taça. "Todas as vezes que a gente entra em uma competição é com o objetivo de ser campeão. Nossa meta é essa", afirmou. "Tendo a possibilidade de fazer o jogo decisivo em casa, é sempre positivo, claro. A torcida de Taubaté ajuda muito, será fundamental", disse Navajas ao jornal O VALE. 

 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.