Header Ads

>

Rexona AdeS vence Molico Osasco e lidera Superliga




Rio de Janeiro x Osasco - Superliga feminina de vôlei (Foto: Thierry Gozzer)

De um lado Thaisa, Adenízia, Camila Brait e Mari. Do outro, Gabi, Natalia, Fofão e Fabi. O maior clássico do voleibol brasileiro colocou novamente frente a frente Rio de Janeiro e Osasco, pela Superliga Feminina de vôlei. No ginásio do Tijuca, porém, o equilíbrio ficou apenas no número de craques dos dois lados da quadra e nas provocações e reclamações com a arbitragem. Pressionando desde o início e com um poderio ofensivo impressionante, o Rio de Janeiro de Bernardinho não tomou conhecimento das paulistas e venceu fácil por 3 sets a 0, parciais de 25/18, 25/16 e 25/21, mantendo sua invencibilidade e subindo para a liderança da competição, deixando o Sesi para trás. Já o Osasco conheceu sua segunda derrota seguida na disputa (havia perdido para o Sesi no meio de semana). Gabi, do Rio, foi a maior pontuadora com 16 acertos. Bruna, também do Rio, recebeu o troféu Viva Vôlei de melhor em quadra.

Rio de Janeiro entrou jogando com Gabi, Bruna, Juciely, Fofão, Natalia, Carol e Fabi. Já Osasco iniciou o duelo com Thaisa, Adenízia, Mari, Ivna, Diana, Samara, Camila Brait. Titular do time paulista, a levantadora Dani Lins, com dores nas costas, foi poupada. A cubana Carcaces, outro destaque do Osasco, teve uma luxação em um dos dedos da mão esquerda, no aquecimento, e só assistiu ao jogo do banco de reservas.

Com a torcida empurrando o Rio de Janeiro, o time da casa abriu 4 a 1 com facilidade, indo bem nos fundamentos do bloqueio e também no saque, com um ace de Gabi. Na bola fora de Diana, o Rio fez 5 a 1 e comandava as ações. Carol, em pancada no viagem, colocou mais dois pontos de frente: 7 a 1. Com 8 a 2, Osasco foi para o tempo técnico com Luizomar de Moura cobrando que Thaisa & cia entrassem no jogo. Com Juciely funcionando muito bem na rede e Fofão distribuindo bem o jogo, Osasco não conseguia se encaixar, e com Natalia o Rio colocou 11 a 3, forçando outra parada de Luizomar. 

Sem demonstrar reação, Osasco era presa fácil para o poderio ofensivo do Rio, que seguia quase perfeito: 16 a 6. A para surtiu efeito, e as paulistas conseguiram três pontos seguidos, pelas mãos de Mari, Thaisa e Diana, diminuindo o prejuízo: 16 a 10. Quem parou o jogo minutos depois foi Bernardinho. Com Gabi em quadra e Lara no saque, Osasco acordou e entrou na reta final do set perdendo por apenas 20 a 18. Foi quando Natalia e Bruna voltaram ao jogo, e decidiram o set, fazendo 23 a 18 rapidamente, contando ainda com falhas do Osasco para fechar em 25/18. Ambas anotaram cinco pontos cada no set.

O segundo set teve início com domínio do Rio de Janeiro, que abriu 3 a 1 com Gabi no ataque. Mas com Ivna mais ligada, Osasco logo se recuperou e manteve-se bem próximo do placar, que no seu primeiro tempo técnico estava em 8 a 5 para as cariocas. Na bola rápida de meio, no contra-ataque, Carol abriu 12 a 8 para o Rio, que desde o começo do primeiro set ainda não sabia o que era estar atrás do marcador. Na rotação que tinha novamente Carol no saque e Gabi na saída de rede, o Rio ampliou para 16 a 10 no segundo tempo técnico.

No meio de rede, Juciely sempre aparecia tocando as bolas do Osasco, facilitando o trabalho da líbero Fabi. No ataque, as paulistas falhavam, como aconteceu com Mari para o Rio de Janeiro fazer 20 a 13 no set 2. Encontrando dificuldades para conter o poderio ofensivo do Rio de Janeiro, Osasco acabou presa fácil na reta final do set. Com Bruna e Gabi acertando tudo, as cariocas fecharam o set 2 em 22 minutos e 25/16 no placar, abrindo 2 a 0.


O terceiro set começou mais equilibrado. Rio e Osasco trocaram pontos com Bruna, Gabi, Adenízia e Mari. A ponta era das cariocas, com 5 a 3. No bloqueio de Natalia, o Rio abriu o dobro de pontos: 6 a 3. E Carol, aproveitando falha do Osasco, fez Luizomar de Moura parar o jogo antes mesmo do tempo técnico. Após bola fora de Diana, o Rio colocou 8 a 3, para nova parada no duelo. Tentando uma recuperação, Diana parou Juciely no bloqueio, e diminuiu para 9 a 5. Testando todas as formações possíveis, inclusive com Thaisa no banco, Luizomar tentava colocar Osasco no jogo.

Do outro lado, Bernardinho mantinha a equipe quase sem rotação. Com 12 minutos de set, as paulistas trouxeram o revés para 12 a 10, em lance polêmico em que Thaisa atacou bem próximo da linha e Fabi viu bola fora, o que a arbitragem não concordou. No bate-boca, o Rio tomou um cartão e a vantagem caiu para apenas um ponto: 12 a 11. Diana, na saída de rede, empatou o jogo. No 15 a 13 quem reclamou do árbitro central foi o Osasco, em duas jogadas seguidas com pontuação para o Rio de Janeiro. 

Desta vez o cartão veio para o lado paulista, e o time da casa abriu 17 a 13. No bloqueio de Adenízia e depois no ataque da própria, que provocou a arbitragem, Osasco perdia por 20 a 17. Entrando "na onda" da torcida, as paulistas se perderam e também viram o jogo sair de controle. Na bola de Gabi, o Rio fez 24 a 20, e depois, aos gritos de "o campeão voltou" o time fechou em 25/21.


Na próxima rodada, no domingo, o Osasco joga em casa, contra o São José dos Campos, às 14h, no Ginásio José Liberatti. Já o Rio de Janeiro volta à quadra na segunda-feira, fora de casa, contra o Sesi, às 21h, em São Paulo, na Vila Leopoldina. Os dois jogos terão transmissão ao vivo do SporTV. O assinante do Canal Campeão também pode acompanhar pelo SporTV Play.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.