Header Ads

>

Rexona AdeS vence Minas e chega a 16ª vitória na Superliga




Fofão sobe para fazer a "china" com Juciely na vitória do Rio sobre Minas (Foto: Foto: Alexandre Arruda/CBV)

As vitórias seguidas sobre Sesi-SP, Osasco, Pinheiros e Praia Clube, quatro dos cinco primeiros colocados da Superliga, credenciaram o Minas a tentar fazer o que ninguém havia conseguido: bater o Rio de Janeiro. E até que as visitantes esboçaram que seria desta vez que o primeiro revés carioca viria. Com Jaqueline quase imparável no primeiro set, as visitantes deram muito trabalho e lideraram boa parte dos três períodos iniciais. Mas a equipe de Bernardinho mostrou nesta noite de sexta-feira para os 2.100 presentes no quase lotado Ginásio do Tijuca que as mineiras e qualquer outro rival precisarão fazer mais para quebrar a invencibilidade do líder da competição. Com a vitória por 3 sets a 2, parciais de 23/25, 25/22, 25/19, 20/25 e 15/7, chegaram à 16ª vitória seguida nesta edição - 21 contando a temporada passada - e seguem como as favoritas ao tricampeonato consecutivo do torneio. A ponteira do Rio de Janeiro, Gabi, responsável por 30 pontos, foi o grande destaque da noite, superando até mesmo Jaque, que chamou a atenção pelo Minas, e marcou 25 pontos.

O equilíbrio esperado foi visto até o décimo ponto. Trocando bolas, Rio e Minas se alternavam, conduzidos por Gabi e Jaque, destaques do set com oito pontos cada. Mas uma eficiente passagem da levantadora Naiane pelo saque levou o time mineiro a marcar oito pontos seguidos e ampliar a vantagem para 17 a 10. Nem a ponteira carioca conseguia virar mais, tamanha a superioridade do bloqueio adversário, responsável por sete pontos - o Rio não fez nenhum. Quando a fatura parecia liquidada, a defesa carioca cresceu na partida, e as donas da casa chegaram a estar só um ponto atrás do marcador (24 a 23). Contudo, Jaque estava na entrada de rede para, em uma cruzada no fundo, dar números finais.

A sequência de bola lá, bola cá continuou. Sem tanta diferença nos bloqueios e na eficiência dos saques para nenhum dos lados, o placar seguiu próximo durante todo o segundo período, mas com o Minas sempre na dianteira. Jaque continuou sendo a protagonista, mas Gabi e Carol respondiam à altura. O bloqueio de Andréia em Jaque e o ace de Amanda viraram o jogo para as cariocas no fim (22 a 21). A pancada de Gabi, explorando o paredão mineiro, fez o Tijuca explodir com a diferença de dois pontos a favor das mandantes. E foram dela  os últimos dois ataques que igualaram a partida (25 a 22).

A virada no fim do segundo set aparentou dar um ar de mais tranquilidade às cariocas, que logo fizeram 2 a 0. Mas as visitantes mostraram que não vieram ao Rio para ser mais uma presa. Com quatro pontos seguidos, dois de Mari Paraíba, retomaram a ponta (6 a 4) e comandaram o placar até a entrada de Regiane no saque. Com dois aces e bons serviços, ela foi decisiva na retomada da ponta por parte do Rio, que levou uma vantagem de cinco à segunda parada técnica (16 a 11). Nem mesmo a breve reação adversária foi suficiente para que uma nova reviravolta acontecesse (25 a 19). Mais uma vez Gabi foi fantástica e ofuscou uma Jaque mais bem marcada. 

A premissa inicial de todos os sets se confirmou no quarto, e ninguém se desgarrava no placar. Com Jaque muito visada, a levantadora Naiane procurava várias jogadoras e contava com as boas performances de Carol Gattaz no meio de rede e Carla. A estrela mineira também aparecia para ataques pontuais e eficientes. No Rio, Fofão concentrava suas ações em uma Gabi muito inspirada. A vantagem mineira por um ponto no segundo tempo técnico provava tal equilíbrio (16 a 15). Só que o time de Bernardinho se perdeu após a paralisação, e Minas abriu vantagem (21 a 16), com Gattaz soberana na rede. Para piorar, Fofão deixou a quadra com cara de muita dor e viu do banco o duelo ir pro tie-break (25 a 20). 

 Todo o equilíbrio visto até então foi jogado ao chão nos primeiros minutos de quinto set. Com uma rede muito forte, o Rio abriu 6 a 1, graças ao bloqueio, que, enfim, deu as caras. Gabi e Carol, com dois "tocos" cada, foram protagonistas. A "goleada" abalou as mineiras que erravam muito e tinham dificuldades em virar bolas. Tranquilo na frente, o líder da competição mostrou que não vai ser fácil ser batido e fechou o derradeiro set por fáceis 15 a 7.

Agora, as cariocas mudam o foco para o Campeonato Sul-Americano, que será disputado durante a próxima semana em Osasco. O retorno à competição nacional será dentro de 11 dias. Na outra quarta-feira, dia 11 de fevereiro, elas viajam até o interior de São Paulo, onde enfrentam o Araraquara, às 20h (horário de Brasília), no Ginásio Gigantão. Já as mineiras recebem, no dia anterior, o São José dos Campos, na Arena Minas, às 19h30m.


 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.