Header Ads

>

Rexona AdeS derrota Praia Clube e assegura liderança




Bastavam dois sets apenas para a equipe do Rio de Janeiro assegurar o primeiro lugar geral na fase classificatória da Superliga feminina, mas as comandadas de Bernardinho fizeram mais do que isso e repetiram nesta noite de sexta-feira, de muito calor no Ginásio do Tijuca, o que já haviam feito em todas as 21 rodadas anteriores da competição. A vitória por 3 sets a 1 (25/20, 25/20, 22/25 e 25/21) sobre o Praia Clube garantiu a vantagem de ter o mando de quadra mais vezes do que suas rivais em todas as fases dos playoffs, restando ainda duas partidas para se iniciar a fase de mata-mata: na próxima terça-feira (10) contra o Osasco, em São Paulo, e na sexta-feira que vem (13) diante do Sesi-SP, na Cidade Maravilhosa. A derrota complicou a luta pela quarta posição das mineiras, que, com a vitória do Minas por 3 sets a 0 sobre o São Bernardo, caíram para a quinta posição.

Bernardinho contou com mais uma boa atuação de sua ponteira Gabi, responsável por 21 pontos no duelo. Como ajudantes de luxo, a jogadora da seleção brasileira teve Régis (19 pontos), que substituiu a poupada Natália, e Juciely (13 pontos).

Mesmo bem marcada, a cubana Ramirez foi mais uma vez o destaque do time mineiro, com 20 pontos. Tandara, com 18, também foi importante em momentos decisivos, como o final do terceiro set.

Rio de Janeiro x Praia Clube Vôlei (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

Sem Natália, poupada, e com Regiane de titular, o Rio colocou em prática o que o Praia Clube fez para bater o Sesi-SP na rodada passada. Com a receita de saques potentes, quebrando o passe rival, e bloqueios montados, as cariocas comandaram boa parte do primeiro set. Bruna se sobressaiu nos serviços, com dois aces. Régis e Carol, com dois pontos cada, contribuíram com o paredão carioca, responsável por seis pontos contra três das mineiras. Gabi e seus cinco ataques potentes também ajudaram a derrotar o time de Ramirez e Ju Costa, ambas destaques do outro lado da rede, com quatro pontos cada (25/20).

O bom momento do líder da Superliga continuou. Com quatro pontos em sequência, a equipe de Bernardinho abriu vantagem (4 a 0). Nem mesmo uma bobeada da defesa, que ficou no "deixa que eu deixo" (9 a 6)  e nem os dois erros de recepção de Regiane foram capazes de diminuir a vantagem carioca, que trabalhava com bolas nas mãos de Fofão e excelente aproveitamento de Gabi (seis pontos) na entrada de rede e de Juciely (cinco), ora na bola rápido de meio, ora na "China".

O Praia não conseguia imprimir sua intensidade, e via sua principal pontuadora Ramirez muito bem marcada. Com sete pontos no set, Tandara ajudou seu time a esboçar uma reação na parte final (20 a 19), mas uma bronca de Bernardinho e quatro pontos seguidos das mandantes, pós-tempo técnico, trouxeram a tranquilidade de volta. O primeiro lugar geral foi assegurado com mais uma cortada certeira de Gabi, decretando a vantagem de fazer o jogo decisivo na sua casa em todas as fases dos playoffs (25/20). 

O terceiro set começou com Gabi e Juciely desconcertando a defesa do Praia. Mas, no ataque, as mineiras conseguiam dificultar as ações do Rio, por conta da sua variação de jogadas. Dos sete primeiros pontos das visitantes, nenhum foi feito pela mesma jogadora por mais de uma vez (8 a 7). A parada técnica foi decisiva para o andamento da parcial. Pela primeira vez na partida, o Praia assumiu o controle das ações, muito por conta dos sucessivos erros da equipe carioca, e chegou à segunda paralisação com quatro de frente (16 a 12). 

Porém, o vento que, ora soprou para um lado, mudou de direção. Com seis pontos consecutivos, sendo dois do paredão Régis sobre a cubana Ramirez, o Rio virou e abriu dois (18 a 16). Quem achou que a gangorra havia terminado e a vitória estava assegurada, enganou-se. Como a Fênix, ressurgindo das cinzas, o Praia voltou pro jogo, justamente através de Ramirez, que vinha com dificuldades de virar suas bolas. Os seus seis pontos e outros quatro de Tandara deram sobrevida às visitantes (25/22).

Passado o susto da virada no final do terceiro set, o Rio voltou mais atento ao jogo. Com passes nas mãos, Roberta distribuía bem o jogo, e a vantagem chegou aos seis (12 a 6). Mas o brioso time do Praia não se dava por vencido e, mais uma vez, tirou forças de onde não aparentava ter. Com o saque mais forçado, dificultou o passe carioca e se postou bem no bloqueio e na defesa. Nos contra-ataques que tinham, Ramirez e Tandara pontuavam. Resultado: virada de jogo (13 a 12). 

Bernardo parou, gritou, orientou. As cariocas voltaram a virar (16 a 14), mas as adversárias buscaram (20 a 20). Uma passagem de Regiane pelo serviço decretou a 22ª vitória das "imbatíveis" cariocas, que fecharam o jogo com um bloqueio de Mayhara sobre Tandara (25 a 21).

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.