Header Ads

>

Campeão olímpico é convidado para ajudar em treinamentos da seleção




Anderson
O campeão olímpico e mundial, Anderson Rodrigues, estará de volta ao Centro de Desenvolvimento de Voleibol, em Saquarema (RJ), depois de praticamente oito anos. Mas, desta vez, não mais para suar a camisa nas quadras na busca por vitórias para a seleção brasileira masculina de vôlei. Aos 40 anos e, atualmente auxiliar técnico da Camponesa/Minas (MG), Anderson estará na casa do vôlei brasileira, a partir da próxima segunda-feira (20.04), para ajudar nos treinamentos.
O ex-jogador recebeu o convite e ajudará na preparação do grupo para a disputa da Liga Mundial, Jogos Pan-Americanos e Campeonato Mundial Sub-23. Anderson comemora a oportunidade e garante estar preparado para exercer a função ao lado dos demais profissionais que atuam na comissão técnica da seleção brasileira.
"Estou muito feliz de voltar à seleção depois de oito anos, agora em outra função. O Bernardinho e toda sua comissão estão me dando uma oportunidade ímpar de fazer parte desse trabalho, de seguir uma vida no voleibol", disse Anderson, que defendeu a seleção brasileira adulta por oito anos.
A ampla experiência e todo o conhecimento adquiridos ao longo desse período, certamente, servirão para ajudar os atletas que atualmente defendem a seleção brasileira, mas ainda não são suficientes para reduzir a ansiedade neste novo momento da carreira.
"Não vejo a hora de chegar logo o dia, de voltar a Saquarema e estar junto com o time. Parece que é minha primeira convocação", se diverte Anderson, que cita o Centro de Desenvolvimento de Voleibol com frequência por ter um grande carinho pelo lugar.
"Tenho uma história nesse centro e voltar agora, desse jeito, está sendo muito gratificante. Quero ajudar como puder e dar minha contribuição, agora de outro lado, é mágico", complementou o ex-jogador.
Estar do lado de fora, mas, ainda assim, bem perto da quadra, já fazia parte dos planos de Anderson. A ideia foi sendo trabalhada e a primeira oportunidade veio em sua terra natal, Belo Horizonte (MG), através do Minas Tênis Clube.
"Já tinha isso na minha cabeça, vim amadurecendo e me preparando para que pudesse fazer da melhor forma possível. Eu queria seguir no vôlei, já que isso foi a minha vida inteira. Não tinha como mudar depois que parasse de jogar. Aliás, isso tem acontecido com outros que ex-atletas, como Giba, Nalbert, André Heller, Maurício, agora o Gustavo, enfim, sabemos que é difícil se distanciar", comentou Anderson, se referindo a atuais comentaristas e dirigentes.
A proximidade com os jogadores e todas as experiências vividas ao longo da carreira têm tudo para ajudar neste novo momento com a seleção brasileira. "Vôlei é uma repetição de caminhos que já percorri, de atalhos que já passei, então acho que vou poder contribuir", concluiu Anderson Rodrigues.
O primeiro compromisso da seleção brasileira neste ano de 2015 será a Liga Mundial, onde está no Grupo A, ao lado de Sérvia, Itália e Austrália.
Fonte: CBV

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.