Header Ads

>

De olho no Mundial, atletas do Rexona ainda festejam o título na Superliga





O Rexona-Ades tem motivo de sobrar para comemorar. Após a conquista da Superliga feminina de vôlei no último domingo sobre o Molico/Nestlé, na Arena da Barra, o lema é festejar muito no descanso. A equipe carioca voltará as quadras nesta terça-feira a fim de iniciar sua preparação para o Mundial de Clubes, que será realizado entre os dias 6 e 10 de maio. Cientes de que terão um grande desafio pela frente, as campeãs aproveitam as últimas horas de descanso para comemorarem muito o título com seus familiares.

Gabi, jogadora mais premiada na Superliga, com troféus de melhor atacante e maior pontuadora da competição, comemora a conquista com a sua família em Belo Horizonte e afirmou que não acreditava no tamanho sucesso da equipe carioca.

"A ficha ainda não caiu. Hoje acordei e a todo momento parece que passa um filme em minha cabeça sobre ontem, sobre tudo o que vivemos na caminhada para o título da Superliga. Nunca imaginei que conquistaria dois prêmios em uma Superliga como aconteceu. Na verdade, nem sinto que esses prêmios são meus. Não são conquistas individuais, pois só fui premiada devido ao apoio de todo o grupo. As meninas e a comissão técnica sempre me passaram muita confiança, principalmente o Bernardo. E eu espero não parar por aí. Sei que tenho muito a evoluir ainda e espero crescer com eles", disse Gabi.

LEIA MAIS: Basquete, vôlei, tênis e muito mais: acompanhe os esportes olímpicos

 

A maior pontuadora da Superliga foi levada logo após a conquista para a coletiva, junto com Bernardinho e Fofão. Lá, a jogadora recebeu vários elogios da campeã olímpica de 2008 que encerrou sua carreira na equipe, e não conteve a emoção.

"Eu nunca esperava por aquelas lindas palavras da Fofão. Fiquei muito emocionada e já chorei várias vezes lembrando. Não consigo explicar o que senti e estou sentindo após escutar aquilo tudo de um grande ídolo, de uma referência para mim. Muito do meu crescimento e do meu amadurecimento eu devo à ela. Sempre me passou confiança, sempre me ajudou. Eu é que preciso agradecê-la por tudo. Viver o dia a dia com ela nesses três anos foi maravilhoso. Vê-la sempre muito alegre e brincalhona, sendo um exemplo de disciplina, humildade, garra e liderança... São coisas que vou levar para o resto da minha vida", afirmou Gabi.

No Rio de Janeiro, Carol, que foi premiada como melhor bloqueadora da Superliga 14/15, comentou que não tira o título da cabeça. A jogadora espera poder repetir os bons momentos que viveu no último domingo no Mundial de Clubes.

"Acho que não fiz uma temporada tão boa assim. Até porque nós acabamos adquirindo um pouco do perfeccionismo do chefe (risos). Fiquei feliz com o prêmio, é claro. Ainda mais por ser no bloqueio, o fundamento em que eu mais me cobro. Só que o prêmio que não é só meu. É uma conquista de todo o grupo, de toda a comissão técnica, que está trabalhando dia a dia do nosso lado, nos ajudando a crescer. Hoje (segunda) eu pude curtir com minha família, que veio para o Rio assistir ao jogo, e aproveitei para ver as fotos na internet, os vídeos que fizemos durante a comemoração. A partir de amanhã já estaremos com o foco voltado para o Mundial e espero conseguir contribuir para que o time tenha um final vitorioso como o de ontem", finalizou.

A final da Super liga feminina de vôlei marcou o maior recorde de público em uma partida do Rexona-Ades. Fofão, que se despediu das quadras brasileiras, passou a ser, ao lado de Fernanda Venturini, a jogadora que mais vezes foi eleita a melhor em jogo em uma final. Fabi, Regiane e Amanda também fizeram história, alcançando oito campeonatos vestindo a camisa do time carioca. Além delas, Juciely e Roberta entraram na galeria das atletas com mais títulos, com quatro conquistas.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.