Header Ads

>

Praia Clube ganha sinal verde de patrocinadores




Tandara, praia clube, atacante, oposta, elenco, (Foto: Gullit Pacielle)
O Praia Clube não atingiu o objetivo principal na temporada 2014/15. Desde a contratação do técnico Ricardo Picinin, o projeto do time era chegar pela primeira vez à semifinal da Superliga Feminina e, quem sabe, decidir o título da competição. Mais uma vez, a equipe de Uberlândia ficou nas quartas de final, perdeu a série para o rival Minas. Pela primeira vez após a desclassificação, o gerente de voleibol do clube, André Lelis falou sobre a equipe.

O diretor comentou sobre o prejuízo técnico que as atletas grávidas Tandara e Karine Guerra causaram, data para início dos treinos, formulação do elenco e o principal: enquanto equipes podem perder patrocínios em virtude dos problemas econômicos do país, o Praia Clube ganhou sinal verde para manter o investimento. Lelis garantiu que o patrocinador quer investir no clube na próxima temporada. O Praia Clube, inclusive, tem o objetivo de manter mais da metade do elenco da última temporada. Ele admitiu que o Praia Clube corre na contramão de alguns times que poderão sofrer com a crise econômica

- Não vou nem falar sobre a parte financeira, pois é muito relativo. As vezes vocês (imprensa) acha que gastamos muito e não é bem assim. A cidade de Uberlândia e nossa estrutura facilita trazer uma atleta. O que posso dizer é que o projeto continua grande. Tenho certeza que a crise vai atingir outros clubes. O Brasil está em uma bolha, que vai ficar pior do que está e quem sente são os empresários. Nossos patrocinadores já nos sinalizaram que apesar de tudo isso, eles querem continuar investindo. Os outros clubes terão dificuldade – explicou
Diferente da temporada passada, o Praia Clube quer manter pelo menos a metade do elenco. Em 2014, além da demissão do técnico Spencer Lee, o plantel foi reformulado.

- O time está esboçado por nós. Nós estamos aguardando o ranking das atletas, porque temos um limite de 43 pontos, e hoje temos a equipe na cabeça. Vamos agora trabalhar com os agentes, mas tem muitas coisas definidas e a gente não pode passar porque a Superliga está em andamento, A intenção é ficar no mínimo com 50% das atletas – disse
 Sobre a gravidez de Karine e Tandara,  Lelis não falou em falta de profissionalismo. Ele acredita que as jogadoras prejudicaram elas mesmas.

- Onde você reúne 18 mulheres, a gravidez é um fato que está apto a acontecer e a gente não espera. Uma lesão de um atleta é um adversidade também que não esperamos. É uma coisa que foge total controle da programação, mas estamos sujeito a isso. Quero considerar que não (foi falta de profissionalismo), porque elas são as principais prejudicadas. Elas lidam com o corpo, o trabalho delas depende do corpo. A mais prejudicada são elas. Não quero crer que uma pessoa dá um tiro no pé. Principalmente a Tandara que tem um ano olímpico – disse
Além da gestação de duas jogadoras, outros situações atrapalharam o Praia Clube no decorrer da Superliga. Como exemplo, derrota para o Maranhão, perda de pontos para Araraquara, e até mesmo perda de um set para São José mostraram deficiências da equipe.

- Perdemos alguns jogos que consideramos que não poderíamos ter perdido. Tivemos muitos erros individuais das atletas que pode ter comprometido em algum momento. Alguns pontos que perdemos, como Araraquara, são pontos que você perde que não retorna. Mas soubemos lidar com isso e ainda classificamos em quarto lugar (na primeira fase) – concluiu.

Logo depois da eliminação para o Minas, o técnico Ricardo Picinin revelou que o contrato foi renovado em mais um ano. Nesta temporada, a equipe terminou em quinto lugar, atrás dos semifinalistas Rio de Janeiro, Osasco, Sesi-SP e Minas.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.