Header Ads

>

Alison/Bruno Schmidt garante liderança da chave




 Bruno Schmidt (esq) e Alison se abraçam após triunfo

 

O Brasil acumulou um resultado positivo e dois tropeços nos confrontos desta segunda-feira (29) pelo torneio masculino do Campeonato Mundial da Holanda. Alison e Bruno Schmidt venceram os austríacos Clemens Doppler e Alexander Horst por 2 sets a 0 (21/19 e 21/14) e conseguiram se classificar em primeiro lugar no grupo C, garantindo um cruzamento melhor, sem enfrentar nenhum outro líder de grupo.

Já Pedro Solberg e Evandro (RJ) e Álvaro Filho e Vitor Felipe (PB) lutaram, mas não conseguiram superar os mexicanos Lombardo Ontiveros e Juan Virgen (2 sets a 0, parciais de 21/18 e 21/11) e Christian Garcia e Francisco Alfredo Marco, da Espanha ( 2 sets a 1, em parciais de 21/13, 16/21 e 15/13), respectivamente. Apesar do revés, as duplas seguem em busca da classificação para a próxima fase nesta terça-feira (30.06).

Pelo encerramento da fase de grupos, os cariocas enfrentam às 14h (de Brasília), em Rotterdã, Alexander Walkenhorst e Stefan Windscheif, da Alemanha. Uma hora mais tarde, em Apeldoorn, é a vez dos paraibanos entraram em quadra contra os norte-americanos Jake Gibb e Casey Patterson, com transmissão ao vivo do SporTV3.

Ricardo e Emanuel, que venceram seus dois primeiros jogos em Amsterdã, também encerram a primeira fase nesta terça-feira, contra os espanhóis Pablo Herrera e Adrian Gavira, também com transmissão ao vivo do SporTV3, às 13h.

Única dupla verde e amarela a vencer hoje, Alison e Bruno Schmidt enfrentaram Clemens Doppler e Alexander Horst, da Áustria na cidade-sede de Apeldoorn, valendo o primeiro lugar do grupo C. O jogo começou morno, com ambos os times somando pontos apenas em erros não forçados. Quando os times enfim entraram na partida, o Brasil levou vantagem. Com Alison e Bruno Schmidt se alternando no ataque, a parceria fechou a primeira etapa em 21/19.

Com uma cortada logo no início do segundo set, Alison apresentaria a tônica do jogo na etapa final. Dominante em quadra, a dupla encaminhou a vitória com 18/12, fechando o set em 21/14 e o jogo e m 2 sets a 0.

"Três jogos e três vitórias em três dias. O formato do Campeonato Mundial é bem similar os dos Jogos Olímpicos. Isso é bom, Alison gosta muito desse tipo de disputa e eu também estou bem motivado. E a competição ter sido dividida entre cidades é mais legal ainda, uma inovação que está agradando. O torneio é longo. Fizemos uma boa primeira fase, o dever foi cumprido até agora, mas agora, com os jogos eliminatórios o foco tem que ser maior ainda", disse Bruno Schmidt após a partida.

Também em Apeldoorn, Álvaro Filho e Vitor Felipe não tiveram vida fácil contra Christian Garcia e Francisco Alfredo Marco. Apesar de o primeiro ponto da partida ser favorável ao Brasil, aos poucos os espanhóis foram crescendo no set, e com o ataque funcionando bem alcançaram o placar de 21/13.

Na segunda etapa os adversários largaram em vantagem, com 4/1, mas o time da Paraíba, com uma proposta de jogo mais agressiva, rapidamente virou o placar e abriu vantagem, fechando o set em 21/15 e levando a decisão para o set tie-break. No set desempate Álvaro Filho emplacou bons momentos no ataque, colocando a parceria em vantagem, com 8/7. Mas, se aproveitando de erros não forçados, Christian Garcia e Francisco Alfredo Marco retomaram a ponta para fechar a etapa em 15/13 e o jogo em 2 sets a 1.

Para avançar em primeiro na chave, Álvaro/Vitor precisa de um triunfo sobre os norte-americanos, além de um tropeço de Marco/García contra os argentinos Azaad/Bianchi.
O segundo confronto de Pedro Solberg e Evandro pelo grupo L começou com vantagem para a dupla mexicana formada por Lombardo Ontiveros e Juan Virgen. O Brasil rapidamente se recuperou, igualando o placar em 5/5, depois de cravada certeira de Evandro.

O primeiro set seguiu equilibrado até a casa dos 15 pontos, quando o México se distanciou no marcador para fechar a etapa em 21/18. O segundo set foi todo mexicano. Com a estratégia frustrada pelo adversário, Pedro e Evandro não conseguiram desenvolver seu voleibol e acabaram derrotados na etapa final por 21/11.

Os cariocas não podem mais terminar na liderança da chave, já que só podem alcançariam cinco pontos, mesmo número da dupla mexicana, que levaria vantagem no confronto direto. Mesmo assim, a vitória é importante para garantir a segunda posição da chave.

Dentro de quadra, os principais atletas disputam o importante título e uma premiação de 1 milhão de dólares (60 mil aos vencedores, 45 mil para os segundos colocados e 35 mil dólares aos medalhistas de bronze) e 1000 pontos para a dupla no ranking do Circuito Mundial.

Além disso, os países dos atletas campeões estarão automaticamente classificados para as Olimpíadas do Rio 2016. A vaga é da federação, e não do time campeão. O Campeonato Mundial não conta pontos na corrida olímpica brasileira, já que possui formato distinto das demais etapas e possibilita apenas quatro duplas do país em cada naipe.

Fonte: CBV

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.