Header Ads

>

Impedida de jogar a Copa do Mundo, seleções encaram sul-americano como consolo





Neste mês de setembro, tivemos a Copa do Mundo de vôlei, no Japão, que deu vaga para 4 seleções na Olimpíada de 2016: Estados Unidos e Itália no masculino, China e Sérvia no feminino. Doze países participaram. As seleções brasileiras foram impedidas de jogar porque segundo a Federação Internacional de Vôlei,  nosso país já tem  vagas olímpicas por ser sede. Em 1995 por exemplo, isso não aconteceu. Os EUA, sede da Olimpíada de 1996 puderam participar.

O fato desagradou os técnicos Bernardinho e José Roberto Guimarães. Seria uma boa oportunidade de testar jogadores contra várias potências da modalidade como Polônia, Rússia, Itália e EUA no masculino; China, Rússia e EUA no feminino. Neste ano, nossas seleções principais tiveram apenas  o Grand Prix e a Liga Mundial como competições fortes.

.
Assim, a última competição da temporada será o campeonato sul-americano.  A edição masculina começa nesta  quarta-feira em Maceió. Em 30 edições da competição, o Brasil venceu 29. Só perdemos em 1964.  São 8 seleções na disputa em 2015,  mas o único adversário de bom nível  é a Argentina, ouro no Pan e que vem de uma boa participação na Copa do Mundo.  O grupo do Brasil tem Peru, Chile e Venezuela. No outro estão Argentina, Uruguai, Guiana e Colômbia. Os 2 melhores avançam as semifinais.
Sem Murilo, Lipe e Maurício Borges contundidos, Visotto e Wallace não convocados, Bernardinho dará oportunidades para atletas como Evandro, Renan, Isac, Otávio, Lucas Lóh e Tiago Brendle.
Feminino- A partir de hoje, terça,  só que na Colômbia, o sul-americano para mulheres.  Se no masculino, a Argentina pode equilibrar a disputa, no feminino o Brasil é favorito absoluto para o 11º título consecutivo. Nenhuma seleção da América do Sul tem condições de ameaçar o time de José Roberto Guimarães. No total, o Brasil já ganhou 18 vezes a competição. Nossa seleção  está no grupo B junto com Argentina, Chile e Uruguai. No A estão Colômbia, Peru, Venezuela e Paraguai. A seleção terá os retornos de Sheilla e Fabiana, poupadas do Pan e Grand Prix. O elenco tem ainda Fernanda Garay, Dani Lins, Adenízia e Camila Brait como destaques.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.