Header Ads

>

Monique, agora no Rexona AdeS, ressalta preparação de olho em 2016





Monique, Courtney Thompson e Lorene foram as três novidades apresentadas pela equipe carioca (Foto: Márcio Rodrigues)
Depois de cinco anos longe de sua cidade natal, Monique Pavão está de volta ao Rio de Janeiro e à sua ex-equipe. A oposta, que defendeu o clube de 2007 a 2010 e foi reserva em sua última passagem, desta vez chega com status de titular e "sede" de jogos. Na última Superliga, com a camisa do Sesi-SP, sofreu com as lesões (uma fratura no tornozelo e um problema no abdômen) que a tiraram de quadra em boa parte das partidas. Em casa, Monique conta com presença da família para ganhar o gás necessário em uma das temporadas mais importantes de sua carreira.
- Sempre tive aquela vontade guardadinha de voltar a jogar aqui e agora estou realizando de novo essa oportunidade de fazer parte dessa equipe. Já conheço o trabalho, então estou mais feliz ainda de saber que aqui vou evoluir, aprender mais coisas e tentar dar o meu melhor para ajudar da melhor forma possível. Estou muito feliz. Sempre morei aqui, sou do Rio de Janeiro, minha família é daqui e estou voltando para a cidade. Para nós que vivemos viajando nada melhor do que jogar em casal – comentou a oposta durante a apresentação do time do Rio de Janeiro, quarta-feira, na Escola de Educação Física do Exército, na Urca.
Formada nas categorias de base do Fluminense, a jogadora de 28 anos vem ocupar o lugar de Andréia Laurence, que não se conseguiu se repetir no Rio de Janeiro as boas atuações que teve no Pinheiros. Para Monique, a temporada na equipe carioca pode deixá-la em vantagem na disputa direta com Tandara por uma das duas vagas de oposta na seleção que disputará as Olimpíadas.
- Eu sei que aqui a gente trabalha muito e acho que esse é o time que mais treina. Já joguei no Rio de Janeiro e sei disso, então a gente evolui muito. Com certeza é um ano importante por ser pré-olímpico, e quero evoluir para no futuro, caso aconteça a convocação, esteja preparada. Quero estar no auge, esse é meu foco. O ritmo do treino é muito bom, principalmente a preparação física. Quero estar no meu melhor momento no ano pré-olímpico – analisou.
Nos próximos meses as meninas do Brasil vão defender seus respectivos clubes, onde atuam nos campeonatos regionais, nacionais e internacionais. O retorno ao CT de Saquarema, para a fase final de preparação para os Jogos Olímpicos do Rio, será em abril. Até lá, a comissão técnica observará à distância o comportamento de cada atleta, e o técnico Zé Roberto já deixou um alerta para cada uma.
- O Zé conversou com todas e pediu para mantermos o trabalho forte e com o pensamento um pouco lá também. Acabamos de encerrar a temporada com a seleção, temos alguns meses para jogar a Superliga e atingir o auge para voltar bem com o foco nas olimpíadas. Ele pediu que não perdêssemos o foco na preparação física principalmente – contou Monique.
 Sob os comandos do técnico Bernardinho, o Rio de Janeiro conquistou a décima Superliga da sua história na temporada passada, além do Campeonato Carioca pela 11ª seguida. De volta a um time vitorioso e que acumula títulos, Monique garante que nada disso assusta. Pelo contrário, a pressão pela vitória se torna uma motivação. A Superliga feminina será disputada por 12 clubes, de novembro de 2015 a abril de 2016.
- A pressão sempre existe, mas não podemos pensar só nela. Já vou para a minha décima segunda Superliga e não fico focada na pressão. É a minha profissão, faço isso todos os dias, é uma coisa normal. Ela existe fora da quadra, mas quando o jogo começa isso fica de lado. Lidamos com a pressão das finais o tempo todo, mas é motivador – disse.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.