Header Ads

>

Nestle Osasco é campeão no Paulista pela quarta vez seguida




Osasco x Sesi-SP  (Foto: João Pires/Fotojump)

A semana marcada por protestos de algumas das principais jogadoras do vôlei brasileiro terminou com o Osasco ratificando dentro de quadra o seu enorme poderio. O tradicional time venceu com sobras o Sesi-SP por 3 sets a 0, com parciais de 25/16, 25/18 e 25/20, neste domingo, no caloroso ginásio José Liberatti, em Osasco, e conquistou o tetracampeonato consecutivo do Campeonato Paulista, o 13º da sua história – o time da casa também venceu a partida de ida, na quinta-feira. Pivô da polêmica que agitou os bastidores da modalidade, a oposta medalhista olímpica de bronze em Sydney 2000 Elisângela, do Osasco, sequer saiu do banco, mas foi bastante aplaudida pela fanática torcida local ao longo da final. Segunda reserva, ela assinou contrato apenas para o estadual e não conseguirá continuar no time por conta do ranqueamento da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) para a Superliga feminina, que começa no dia 10 de novembro. Por conta disso, Lili, de 37 anos, pode ter de encerrar a carreira de forma antecipada.

- Ser campeã com esse carinho da torcida é uma alegria muito grande. Eu sabia que era querida, mas não fazia ideia que era tanto assim, que tinha essa proporção. Eu espero que a CBV me dê uma resposta nesta semana para ver se eu poderei continuar jogando. Pode ter sido a minha última partida. Não quero que isso aconteça - disse Elisângela, que foi jogada para o alto pelas companheiras de Osasco, após o jogo.

Prevaleceu o forte conjunto osasquense. Mas a oposta Ivna foi a maior pontuadora da finalíssima, com 16 pontos. A ponteira bicampeã olímpica Jaqueline foi quem mais pontuou pelo Sesi-SP, com 10 pontos.

A obtenção de mais um caneco mostra que o Osasco pode fazer uma grande temporada e tentar acabar com o domínio do Rio de Janeiro, atual tricampeão da Superliga. Comandado dentro de quadra pela levantadora campeã olímpica em Londres 2012 Dani Lins, a equipe ainda conta com a central campeã olímpica Adenízia, a líbero titular da seleção, Camila Brait, e a bicampeã olímpica Thaísa, que está em fase adiantada de recuperação de cirurgias nos dois joelhos e não disputou o estadual. 

O jogo

A partida começou com o Osasco jogando em ritmo acelerado. Sacando melhor, as mandantes dificultaram o passe do Sesi-SP e tiveram um bom aproveitamento nos contra-ataques.  Em boa jornada, Dani Lins estava conseguindo variar bem as jogadas para municiar as suas companheiras. Com as bicampeãs olímpicas Fabiana e Jaqueline como suas principais armas, o visitante deu uma reagida, mas Ivna e Carcaces estavam com a mão pesada e cravaram bolas importantes para o Osasco abrir 15/8. A partir daí, o time de amarelo deu um espetáculo. Quase perfeito no ataque e com uma defesa forte, ele fez sete pontos conseguidos contra dois do Sesi-SP e abriu 22/10. Num suspiro, a equipe de branco marcou cinco pontos seguidos. Mas o primeiro set foi fechado em 25/16 pelo Osasco, após 26 minutos.

Um time que conta com as bicampeãs olímpicas Fabiana e Jaqueline, sempre terá ao menos bons momentos em quadra. O Sesi-SP pode viver isso no início do segundo set. Boas bolas da central e da ponteira ajudaram a equipe a empatar a segunda parcial em 8/8 e quase passar à frente no placar. O Sesi-SP só não contava com uma bela sequência de seis pontos do Osasco para frear o ímpeto das colegas de Fabizona e Jaque. Após retomar as rédeas da segunda parcial, as donas da casa passaram a infernizar a defesa rival, principalmente graças ao bom trabalho de Dani Lins. A levantadora soube a hora certa de municiar suas colegas e foi fundamental para o triunfo por 25/18 no segundo set.

O tetracampeonato paulista seguido do Osasco estava muito perto. Apesar do Sesi-SP ter bastante talento e ser aguerrido, o mandante sobrava. Além de vencer os pontos mais disputados, ele era empurrado pela fanática torcida local. Também pesava a maior velocidade o iminente campeão. A vitória no set final foi por 25/20. E, logo após o ponto decisivo, a torcida vibrou muito e gritou. "Tetracampeão! É, Elisângela", bradou a massa.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.