Header Ads

>

Parceria do time de vôlei de São José é alvo de investigação






Na sétima rodada do turno da Superliga masculina de vôlei 2015/2016, o atual campeão, Sada Cruzeiro (MG), conseguiu sua sexta vitória. O time mineiro recebeu o São José Vôlei (SP), na tarde deste sábado (05.12), no ginásio do Riacho, em Contagem (MG), e venceu por 3 sets a 1, com parciais de 25/16, 25/19, 21/25 e 25/19, em 2h02 de partida. Apesar da derrota do seu time, o ponteiro Diogo foi o maior pontuador do confronto, com 17 acertos

O Ministério Público do Estado investiga irregularidades administrativas na Prefeitura de São José dos Campos em relação à equipe masculina da cidade, que disputa a Superliga.
O São José Vôlei é atualmente o nono colocado da Superliga Masculina e luta para obter classificação para os playoffs do torneio.
A promotoria instaurou inquérito que apura improbidade que teria levado a um prejuízo ao poder público.
A suspeita gira em torno da relação entre agentes públicos e a Escola do Corpo, associação pela qual o time está registrado na CBV (Confederação Brasileira de Vôlei).
O Ministério Público pediu às partes que apresentem documentos que comprovem a parceria, como contratos.
O nó está no elo entre a prefeitura e a associação.
Pela lei, o município não pode constituir representação esportiva —tem necessariamente de se vincular a uma entidade; no caso, São José dos Campos se aliou à Escola do Corpo.
Em audiência trabalhista no dia 21 de outubro, o presidente da Escola do Corpo, Osvaldo José da Silva Filho, disse que a associação não mantinha qualquer funcionário acompanhando a equipe.
De acordo com Silva Filho, a associação "emprestou o nome em parceria com a prefeitura".
Ele é listado no portal oficial da Superliga como fisioterapeuta do São José.
Além disso, Silva Filho afirmou que o vínculo, existente há "sete ou oito anos", nunca foi oficializado em um documento —sempre foi tratado de maneira verbal.
Ainda segundo o presidente da Escola do Corpo, o dirigente responsável pelo time, Fernando Basilio, é funcionário da Prefeitura de São José dos Campos, o que seria uma prática irregular.
Silva Filho declarou que todos os integrantes da equipe, de atletas à comissão técnica, eram pagos pelo município e que à Escola do Corpo cabia apenas obter filiação e se manter regular na CBV.
Outro membro da equipe, o supervisor técnico Yochio Ysobe, tem ligação com o Fadenp (Fundo de Apoio ao Desporto Não Profissional), que foi instituído pela prefeitura.
A promotoria investiga se recursos do Fadenp foram destinados à equipe. A defesa da prefeitura é a de que a Superliga é "amadora" —embora algumas equipes, como o Sesi, registrem os atletas.
O Ministério Público pediu esclarecimento se valores foram pagos para a Escola do Corpo, aos atletas ou a Silva Filho, e a que título foram efetuados os pagamentos.
DESTAQUES DO TIME
O principal nome do elenco é o oposto Lorena, que teve passagens pela seleção nacional e se destacou em times como o Vôlei Futuro (já extinto), Montes Claros e Sesi.
O ponta Dante, campeão olímpico em Atenas-2004, defendeu a equipe entre maio e setembro do ano passado.

Vi aqui

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.