Header Ads

>

Michelle e Walewska vibram com vaga inédita à final da Superliga




Praia Clube, Minas, Superliga, semifinal 3 (Foto: Praia Clube/Divulgação)

Foram oito anos de espera. Do início do projeto, na temporada 2008/09, com o desenvolvimento de jovens atletas, à contratação de jogadoras consagradas. Na noite desta segunda-feira, a Arena Praia, em Uberlândia, ficou pequena para a afirmação de mais um gigante do vôlei nacional. Com a vitória por 3 sets a 0 sobre o Minas, o Praia Clube carimbou pela primeira vez o passaporte à final da Superliga Feminina de vôlei. Vai pegar o supercampeão Rio de Janeiro na decisão, domingo, em Brasília.

Após o jogo, duas jogadoras que viveram períodos diferentes do projeto não esconderam a alegria por darem suas contribuições. Praiana de longa data, a ponteira Michelle, que retornou este ano após ter vestido a camisa do time de Uberlândia por duas temporadas, foi escolhida a melhor em quadra e dividiu o prêmio com as colegas de equipe.

– A equipe está de parabéns. Qualquer uma poderia ter sido a melhor da partida. Eu tento ajudar na minha posição, no passe, na defesa, no volume de jogo. Hoje consegui fazer alguns ataques, as meninas me deixaram sozinha. A Wal, a Daymi e a Alix conseguiram me liberar um pouco. Estou aqui para ajudar e só quero comemorar agora, estou muito feliz. Eu vi esse projeto crescer, passei dois anos aqui e chegar a uma final é a realização de um sonho. Estou muito feliz por estar ajudando nisso. 

Outra jogadora que tem participação importante na passagem de fase é a central Walewska. Bicampeã olímpica, a capitã praiana contribuiu ao longo da campanha com pontos e liderança. Em sua primeira temporada em Uberlândia, ajuda o time a dar o passo que faltava.

– A gente já tinha quebrado essa história chegando em uma semifinal. Essa torcida realmente merecia ver um 3 a 0 hoje. A gente jogou do início ao fim da mesma maneira, então acho que o Praia merece essa posição, porque a gente trabalhou muito e eles têm investido há muitos anos nesse projeto. Já é um projeto vitorioso.

Por ironia, quis o destino que quando Michelle conseguisse sua primeira participação em final, estivesse do outro lado da quadra justamente a irmã gêmea, Monique, ex-praiana, que coincidentemente também foi eleita melhor em quadra no jogo do Rio de Janeiro contra Osasco. Feliz com o momento vivido pelas duas, Michelle revelou uma conversa com a irmã antes dos jogos.

– Antes do jogo mandei mensagem para ela e falei "nós vamos para a final, você vai?" E ela falou: "Nós vamos também". É um sonho das duas. A gente sabia que ia acontecer um dia e graças ao bom trabalho da equipe do Praia, de todo o projeto, a gente vai conseguir realizar esse sonho.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.