Header Ads

>

Meninos vencem a Eslovênia de virada em Montes Claros




Brasil x Eslovênia vôlei (Foto: Célio Messias/Inovafoto/CBV)


A falta de ritmo e de entrosamento era uma preocupação do técnico Bernardinho, mas esses fatores não comprometeram a Seleção Brasileira de Volei Masculino, que venceu a Eslovênia, de virada, por 3 sets a 1 ((21/25, 25/18, 25/22 e 25/11), no primeiro teste do ano olímpico, sábado à noite, no Ginásio Tancredo Neves, em Montes Claros. A partida teve um bom público (3.850 pessoas). As dua equipes voltam se enfrentar nesta segunda-feira, às 18h30min, no "Caldeirão" da cidade do Norte de Minas.

Bernardinho aproveita os amistosos para testar jogadores, buscando a formação do grupo que ideal para a disputa da Liga Mundial e para a Olimpiada, para qual ainda terá que fazer cortes, pois convocou 18 atletas e somente 12 deles poderão ser inscritos para os jogos no Rio de Janeiro.

Na partida deste sábado, os ponteiros Murilo e Lipe foram poupados. O técnico optou pela entrada do ponteiro Lucas Lohr, ao lado de Lucarelli. E Lucas Lohr deu conta do recado, sendo um dos melhores em quadra. Outro que ganhou uma oportunidade de mostrar serviço foi o libero Tiago Brendle, que substituiu o experiente Serginho a partir do terceiro set e teve uma boa atuação. Ele se sentiu em casa, pois já defendeu o Montes Claros Vôlei em duas temporadas e sentiu em casa, contando com forte apoio da torcida. "A nossa tendência é melhorar cada dia mais", disse Brendle ao final da vitória contra os atuais vice-campões da Europa.

No desafio desta segunda-feira, o técnico da Seleção Brasileira deve fazer novas mudanças no time. Um dos jogadores que devem entrar em quadra é o central Sidão, que voltou a ser convocado depois de ficar vários meses parado, devido a uma cirurgia no ombro direito, realizada em novembro de 2015.

Nos amistosos contra a Eslovênia, o grupo de Bernardinho está desfalcado do central Isaac (que enfrenta desgaste físico), do levantador Bruno Rezende e do central do Lucão, que estão sendo poupados, após o fim da temporada na Italia, onde foram campeões pelo Pallavolo Modena.

O jogo

O Brasil entrou em quadra com William, Lucas Lóh, Lucarelli, Wallace, Maurício Souza, Eder e Serginho para a formação titular. Numa boa passagem de Eder pelo saque, o time de Bernardinho fez 6/ 3 no placa. Chegou ao primeiro técnico com o placar favorável de 8/5, após um erro de ataque da Eslovênia. A Seleção marcou 10/ 7, mas, numa sequência de erros de saque e de ataque, permitiu que os adversários empatassem (11/ 11). Num ace do oposto Gasparini, o time europeu virou o placar (11/ 12).

No segundo tempo técnico, o time visitante vencia por 14 /16. Bernadinho fez a inversão, colocando em quadra Evandro e Raphael, para a saída de Willian e Wallace. Ele também pediu tempo, mas não conseguiu impedir que a Eslovênia de fechar o set por 21/25.

No segundo set, Brasil voltou mais agressivo. Com um saque forte, Lucarelli quebrou o passe do adversário e a Seleção abriu a vantagem de 5/1, marcando 8/3 no primeiro tempo técnico,em um ataque de Eder. Com os ataques de Lucarelli e de Lucas Lohr, o Brasil fez 14/09. Os eslovenos esbouçaram uma reação (15/12). Bernadinho pediu tempo para parar o adversário. O Brasil marcou 16/12 no segundo tempo técnico e fechou o set por 25/18, empatando a partida.

No terceiro set, Serginho (reclamando de uma virose), deu lugar ao líbero Tiago Brendle. A parcial começou equilibrada e a Eslovênia saiu na frente na primeira parada técnica (6/8). Em um ataque de Eder, o Brasil empatou (14/14) e chegou a frente no segundo tempo técnico (16/15). A Seleção manteve a vantagem (19/17). O tecnico da equipe visitante, Giani Andrea, pediu tempo. Mas, em um bloqueio de Lucas Lohr, o Brasil fez 20/18 e fechou a parcial com um ataque de Eder (25/22), virando o placar da partida (2 a 1).

A Seleção não encontrou resistência por parte dos vice-campões europeus no quarto set. Giani Andrea fez mudanças em sua equipe, tirando de quadra o oposto Gasparini por Stern. Também mudou a rede, substituindo Koncilja por Stalekar. Mas, nada resolveu. Com boas defesas, contra-ataques e bloqueios, a equipe de Bernardinho marcou 8/2 no primeiro tempo técnico. Na segunda parada técnica, a diferença chegou a 10 pontos (16/6). O Brasil venceu a parcial por 25/11 e a partida por 3 a 1, recebendo os aplausos da apaixonada torcida de Montes Claros.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.