Header Ads

>

Brasil despacha a Sérvia e fecha 1ª etapa do GP invicto





O tornozelo esquerdo, que tanto incomodou durante os últimos meses, não atrapalhou. Maior preocupação de José Roberto Guimarães rumo aos Jogos, Gabi havia entrado em quadra nas últimas partidas apenas para sacar. Neste domingo, porém, não voltou mais para o banco. Com um sorriso no rosto, saltou, atacou e bloqueou. Solta na partida, a ponteira ajudou a seleção a bater a Sérvia por 3 sets a 0, parciais 25/20, 25/18 e 25/18, fechando de forma invicta a primeira rodada do Grand Prix na Arena Carioca 1.

No Rio de Janeiro, a seleção bateu Itália, Japão e Sérvia. Agora, embarca para Macau, na China, para a segunda rodada da competição. Lá, encara Sérvia, Bélgica e as donas da casa. Depois, encerra a fase de classificação contra Itália, Bélgica e Turquia, na cidade turca de Ankara. A fase final será em Bangcoc, na Tailândia, entre 6 e 10 de julho.

No intervalo para o terceiro set, jogadoras que participaram de edições dos Jogos Olímpicos desde a primeira participação, em 1980, foram homenageadas. Estrelas de antigamente, como Vera Mossa, Ida e Sandra, até as campeãs olímpicas em Pequim e em Londres, como Walewska e Paula Pequeno, receberam uma medalha da CBV.

Brasileiras vibram após ponto contra a Sérvia (Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/CBV)


Com um público bem maior que o dos primeiros dias, o barulho extra parece ter empolgado a seleção. Logo de início, 3/0, sem chances para as sérvias. As europeias melhoraram, mas no ataque de Natália por cima do bloqueio rival, o Brasil foi para o primeiro tempo técnico em vantagem: 8/4. Aos poucos, a Sérvia encaixou melhor seu jogo. Assim como nas partidas anteriores, Brakocevic aparecia como principal arma. Por suas mãos, a diferença caiu para apenas um ponto (10/9).

Foi ela quem colocou a Sérvia pela primeira vez à frente no placar (13/12). Zé Roberto, então, parou o jogo e tentou acertar a casa. Deu certo: a seleção logo voltou à frente. No bloqueio de Fabiana, o Brasil foi para o tempo técnico em vantagem, com 16/13. O domínio, então, era absoluto. Depois de uma bola quase perdida, Natália aproveitou boa defesa de Leia para fuzilar e ampliar para 20/14. No saque errado das sérvias, o fim do primeiro set: 25/20.

Natália, de bloqueio, abriu a contagem da segunda parcial. E a seleção voltou melhor. Logo, abriu 7/1 no placar com extrema facilidade. A Sérvia acordou e encostou no placar, mas as donas da casa foram para o primeiro tempo técnico com 8/5. Gabi, que, até então, havia entrado apenas para sacar, foi para a quadra por mais tempo, no lugar de Fê Garay. Maior preocupação de Zé para os Jogos, a ponteira mostrou desenvoltura no ataque e, de bloqueio, fez o Brasil chegar ao tempo técnico em vantagem: 16/14.

Com dois pontos de saque em sequência, Sheilla ampliou a vantagem para o Brasil. Do outro lado, a Sérvia parecia não ter muita força para mudar o parâmetro do jogo.  Com Roberta e Tandara em quadra, a seleção não teve muitos problemas para fechar a parcial em 25/18

Após a homenagem às jogadoras com participações em Olimpíadas, a seleção voltou à quadra com o mesmo ritmo. Sem dar chances à Sérvia, construiu o placar do set final com tranquilidade. No bloqueio de Roberta e Thaísa, o Brasil fechou a partida em 25/18, para a festa do ginásio.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.