Header Ads

>

Brasil derrota a Bélgica de virada pela Liga Mundial




Brasil x Bélgica Liga Mundial 2016 Murilo vôlei (Foto: Divulgação/FIVB)

Pouca gente se lembrava da última vez que o Brasil havia enfrentado a Bélgica no vôlei masculino, há exatos 42 anos, pelo Campeonato Mundial de 1974. A lembrança do confronto diante dos adversários deste sábado, pela terceira etapa classificatória da Liga Mundial, que está sendo disputada na cidade francesa de Nancy, era tão longínqua, que os jogadores comandados pelo técnico Bernardinho sequer tinham nascido na ocasião. Mas nem sempre apenas a tradição é o suficiente para fazer valer o favoritismo. E isso ficou evidente quando a bola subiu. Sem a mesma pressão dos brasileiros, os europeus jogaram soltos, ficaram à frente do marcador por duas vezes e, por pouco, não conseguiram um resultado histórico. Mas, no fim, a experiência de quem já venceu a competição em nove oportunidades falou mais alto. Comandada pelo ponteiro Murilo no tie-break, a seleção teve forças para reagir duas vezes e vencer a Bélgica por 3 sets a 2, parciais de 20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11, em 1h25 minutos de partida.    

Apesar da derrota, o maior pontuador da partida foi Gert Van Walle, com 26 acertos. Sam Deroo fez 21 e também teve ótima atuação. Pelo lado do Brasil, Wallace, com 23 pontos, e Lucarelli, com outros 21, foram os destaques da seleção brasileira. Decisivo no tie-break, Murilo terminou a partida com 15, quatro deles somente de saque.

O JOGO

Assim como no confronto da véspera, diante dos poloneses, a seleção brasileira, que voltou a contar com o ponteiro Murilo entre os titulares, começou muito devagar. Melhor para a nova geração belga, que abriu 3/0 de cara e ganhou moral. Em desvantagem, os brasileiros tiveram que correr atrás. A diferença chegou a diminuir o prejuízo para apenas um ponto, mas os vice-campeões mundiais jogavam sem a mesma vibração do dia anterior e jamais assumiram a dianteira do set. Muito superiores e com um volume de jogo incrível, os europeus não encontraram maiores dificuldades para fechar em 25/20 e fazer 1 a 0 na partida.  

Apesar da derrota parcial, Bernardinho voltou para a segunda parcial como a mesma formação do set anterior. Com Bruninho, Éder, Isac, Murilo, Lucarelli, Wallace e Serginho em quadra, a seleção fez 1/0 e pela primeira vez no jogo liderou o marcador. Sem responsabilidade, os belgas, que somavam três vitórias e quatro derrotas antes do confronto, continuavam melhores e controlaram as ações. Com William no lugar do aniversariante Bruninho, o Brasil só voltou a passar à frente na reta final do set. Depois de fazer 19/18, os brasileiros não perderam mais a dianteira, mas só fecharam a parcial por 25/23, numa pancada de Wallace pela saída de rede, na terceira oportunidade. 

Brasil x Bélgica Liga Mundial 2016 Wallace vôlei (Foto: Divulgação/FIVB)

Com William mantido no lugar de Bruninho, a seleção voltou mais vibrante, fez 3/0 e deu a impressão de que tudo voltaria ao normal. Mas só impressão. Sem se intimidar com o recente passo vitorioso da seleção Bélgica seguia jogando solta e virou o placar numa bomba de Tomas Rousseaux. A vantagem encheu de moral novamente os belgas, que seguiram na frente até a reta final do set. O Brasil até teve a chance de deixar tudo em 23/23, mas, num lance polêmico, a arbitragem não viu um toque no bloqueio pedido pelos brasileiros no ataque de Wallace. A um ponto de fechar o set, os belgas fecharam a porta com um bloqueio duplo e fizeram 25/23.

A seleção brasileira voltou mordida para o quarto set e abriu 6/3, após um ace de Lucarelli. Mas a vantagem desapareceu num piscar de olhos. Irregular, o Brasil sofreu quatro pontos seguidos e permitiu a virada dos belgas. Irritado, Bernadinho parou o jogo. A bronca foi grande, mas surtiu efeito. A seleção acordou, abriu três pontos de frente e respirou. Mas por pouco tempo. Quase que num repeteco do início do set, os brasileiros voltaram a bobear e permitiram outra virada dos europeus. Bernardinho, então, fez a inversão do 5/1 e pôs Bruninho e Evandro nos lugares de William e Wallace. As trocas deram certo, a seleção virou e empatou o jogo após um saque na rede de Gert Van Walle.

Com o jovem Douglas Souza na vaga de Lucarelli, a seleção fez 1/0 após um bloqueio de Wallace. Frio, o ponteiro desperdiçou a chance de ampliar com um ataque para fora e foi caçado no saque. A estratégia do técnico Dominique Baeyens funcionou, e os belgas fizeram 4/2. Mas a experiência falou mais alto na hora da decisão. Comandado por Murilo, a seleção engatou a primeira e fez 9/5. A Bélgica ainda esboçou uma reação e diminuiu o prejuízo para três pontos, mas, com uma pancada do ponteiro brasileiro pela saída de rede, a seleção fez 15/11 e venceu por 3 a 2.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.