Header Ads

>

Brasil perde para o Egito no vôlei sentado e agora tem de vencer a Alemanha




Com derrota na segunda rodada, Brasil precisa derrotar a Alemanha para chegar às semifinais (Foto: Washington Alves/MPIX/CPB)

Assim como no futebol, também no voleibol vale a máxima que diz que "o jogo só acaba quando termina". Depois de um empate em dois sets em quatro disputados, a seleção brasileira masculina de voleibol sentado tinha a partida nas mãos ao abrir cinco pontos de vantagem no tie-break (9 a 4).

Mesmo contando com apoio maciço da torcida, que lotou a quadra montada no Pavilhão 6 do Riocentro, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade, os vice-campeões mundiais foram surpreendidos pelos africanos, que fecharam o jogo em 3 a 2, com parciais de 25/18, 13/25, 25/23, 10/25 e 15/13.

A derrota coloca o Brasil na segunda colocação do Grupo A, com um ponto, atrás dos egípcios, que somam dois. Alemanha e Estados Unidos, que estão zerados, se enfrentam neste domingo às 18h30, também no Pavilhão 6.

Com a derrota, para garantir a vaga nas semifinais o Brasil precisará derrotar os alemães em seu último jogo na primeira fase, na terça-feira (13), às 20h30. Tanto os Estados Unidos quanto a Alemanha, que perderam para o Brasil e o Egito, respectivamente, precisam vencer no jogo de logo mais para continuarem vivos na competição.

Para o meia de rede Wellington Platini da Anunciação, o Brasil tinha o jogo na mão, mas "deu mole e fez os africanos gostarem do jogo. "Sabíamos que seria um jogo muito difícil. O Egito foi medalha de bronze na última Paralimpíada. É uma seleção experiente, mas a nossa seleção está bem preparada".

"Mas é preciso saber ganhar jogo a jogo. O tie-break estava praticamente ganho. Tínhamos virado 10 a 3 e aí tomamos uma sequência de pontos que não podíamos tomar. Aí o time deles tomou coragem e o nosso foi se abaixando. Quando percebemos, o jogo já estava perdido", lamentou.

O capitão Fred foi o maior pontuador do Brasil na partida, com 24 pontos marcados. O veterano Giba marcou 17 pontos. Os destaques da vitória egípcia foram o capitão Hesham Elshwikh, que marcou 19 pontos, e Elsayed Moussa, que anotou 17.

Para o veterano Giba, na hora de "matar ou morrer" o Brasil não soube ganhar o jogo. "A gente ficou meio desperto. Abrimos vantagem de sete pontos no tie-break e esse negócio de achar que o jogo está ganho...não pode. Mas temos a partida contra a Alemanha. Ainda temos chance de ganhar".
(Foto: Washington Alves/MPIX/CPB)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.