Header Ads

>

Caramuru se despede da Superliga com derrota para o Sesi




/

O Caramuru Vôlei, de Castro, até assustou o estrelado time do Sesi, de São Paulo e empolgou a torcida, ao iniciar um jogo impecável, vencendo o primeiro set. Mas deixou escapar a vitória em casa no último jogo da temporada na Superliga Masculina de Volei, disputado na noite deste sábado no Ginásio Padre José Pagnacco, em um embate que tinha três campeões olímpicos em quadra. No final, o placar de 3X1 a favor do time paulista, e, na torcida, o gosto amargo de ver o time, que apresentou um excelente volume de jogo, se despedindo da elite do vôlei nacional, ao fechar a temporada com apenas uma vitória nos 22 jogos disputados.

A partida começou com Gustavo (3), Robinho (9), Thales (15), Eric (5), Peron (18), e Diego (1) escalados para o time de Castro; e Riad (11), Bruninho (1), Douglas (12), Lucão (16), Alan (6) e Theo (7) para o Sesi. O primeiro set foi disputadíssimo, ponto a ponto, o qual o Caramuru levou por 27 a 25 em 32 minutos. O segundo set também iniciou muito igual, mantendo ponto a ponto até os 15 a 15. Aí o Sesi abriu para levar o segundo set por 25 a 22. Grande atuação do ataque e defesa do Caramuru, com poucos erros.

O terceiro set foi o mais desparelho. Já iniciou em 5X1 para o time paulista, terminando em 25 a 17 para o Sesi. O último set começou disputado, mas desandou, parecendo que ia ser mais uma vitória tranquila para o Sesi, abrindo 14 a 9. Foi aí que a torcida fez-se o sétimo jogador e empurrou o time, para uma virada impressionante: 17 a 15 para o Caramuru. Os quase 800 pagantes foram ao delírio. Vantagem mantida até 22X21, igualada nos 23 a 23, que terminou em mais uma vitória para o Sesi. O astro da seleção brasileira, Lucão, foi o maior pontuador, com 21 pontos, eleito o melhor da partida.

O técnico do Caramuru, Fábio Sampaio, reconheceu o grande desempenho do time na noite de sábado. "É natural que, quando uma equipe joga contra outra de alto nível, joga mais solto. Não tínhamos nada a perder, então eles jogaram sem responsabilidade e aquela adrenalina de poder perder. Foi uma pena não ter conseguido uma vitória, mas sabemos que a equipe do Sesi precisava de uma vitória, não fizeram corpo mole, então isso deu um 'up'", relatou, exaltando e agradecendo a torcida.

Sampaio também reconhece que, apesar do modesto orçamento, acreditava que a equipe poderia ir mais longe. "Quando começou o campeonato, já esperávamos o rebaixamento. Mas quando o campeonato foi tendo sequência e fizemos bons jogos como este, vimos que não poderíamos ter perdidos jogos chaves como São Bernardo aqui; Minas em casa e Canoas fora não poderíamos ter perdido. Poderíamos estar em nono ou décimo, então fica a frustração", diz. À equipe gestora, deixa seus agradecimentos. "Fica meu carinho e agradecimento pelo grupo gestor que abraçou a causa de maneira voluntária, praticamente. Alguns ganhavam mais uma ajuda de custo, então tenho agradecer por abrirem mão de um espetáculo para correr nos bastidores", completou.

O técnico do Sesi, Marcos Pacheco, reconheceu o bom desempenho do time de Castro, e disse que já esperava um grande jogo do time da casa. "O Caramuru não foi bem na competição e estava em último. Mas sabia que, no último jogo em casa, certamente o time queria deixar boa impressão para a torcida. Mas nos falhamos tecnicamente, com erros de saque e não conseguimos neutralizar o ataque de Castro, que foi muito bem", disse à reportagem.

O levantador do Sesi, Bruno Rezende (Bruninho), também afirmou que o time veio preparado para uma grande atuação do Caramuru. "A gente viu eles (Caramuru) fazendo boas atuações, então viemos preparados. Algo que atrapalha nossa equipe é o abrir vantagem e deixar encostar; são coisas que, a partir de agora, não podemos permitir, por chegar o mata-mata. Mas imaginávamos esse bom jogo, com o Caramuru arriscando bastante no saque, que colocou a gente em dificuldade. Então estão de parabéns pela partida que fizeram", declarou 
Na próxima semana, o grupo gestor fará uma reunião com a diretoria do time, para definir os planos para o futuro do time na Taça Paraná e na Superliga B. Uma entrevista coletiva, para revelar esse projeto, deverá ser marcada para os próximos dias.  

Quartas de Final
O Taubaté Funvic perdeu o jogo por 3 sets a 2. Porém, como este placar dá um ponto ao perdedor, terminou a primeira fase com os mesmos 52 pontos do Sesi, ambos com 17 vitórias e 5 derrotas. Vantagem, no entanto, para o Taubaté, que apesar dos iguais 56 sets ganhos, perdeu dois sets a menos, 23 no total, obtendo 10 vitórias por 3X0, contra oito do Sesi. Fechou como líder o Sada Cruzeiro, com apenas uma derrota.
Agora, o Sesi encara o Minas Tenis Clube, sexto colocado na classificação, que completou o campeonato com 12 vitórias.  "Tenho como teoria que não é um novo campeonato, mas um momento diferente, contra adversário especifico. Tudo o que foi construído no campeonato usa agora. Agora vem o Minas, que tivemos dois jogos disputados, perdemos lá por 3x2 e ganhamos em casa por 3X2. É um time forte, mas vamos parar para descanas e entender melhor o adversário, com o objetivo de chegar a final", revelou o técnico do Sesi.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.