Header Ads

Minas Camponesa vira sobre o Rexona Sesc e fica a uma vitória da final




Contra o favorito, é preciso saber se reinventar. Quando chegou ao Rio de Janeiro, Minas tinha pouco ao seu favor. Foi em quadra, porém, que mostrou sua força ao esquecer qualquer previsão contrária. Depois de vencer na última terça, a equipe mineira soube controlar os ânimos nos piores momentos e voltou a bater o Rio dentro do ginásio do Tijuca. Em um jogo tão disputado quanto nervoso, Hooker, Jaqueline e Rosamaria deram o tom e guiaram o time de Belo Horizonte à vitória por 3 sets a 2, parciais 25/21, 13/25, 21/25, 25/23 e 15/8.

As duas equipes voltam à quadra na próxima terça-feira, às 21h30, em Belo Horizonte. Se vencer, o Minas garante seu lugar na final da Superliga, em um feito que não consegue alcançar desde a temporada 2003/2004. Ao Rio, só resta bater as rivais em casa para forçar o quinto jogo, de volta no Ginásio do Tijuca.

Minas sai na frente, Rio se recupera

Rosamaria subiu e venceu o bloqueio, mas mandou para fora. Gabi, logo na sequência, soltou o braço, livre, e abriu 2 a 0 para as donas da casa. Com a missão de se recuperar após a derrota de terça-feira, o Rio começou em ritmo acelerado. Minas, do outro lado, conseguiu segurar a pressão. Hooker explorou o bloqueio de Carol e Anne e colocou as visitantes em vantagem pela primeira vez (6/5).

A americana se mostrou inspirada. A oposta veio de trás, soltou o braço e fez o Minas abrir 9/6. Bernardinho, então, parou o jogo pela primeira vez. Jaqueline, com uma cinta de proteção por conta das dores na região lombar, marcou duas vezes seguidas, em ataque e ace, e ampliou a contagem para 11/7. Logo depois do maior rali da partida, as mineiras aumentaram a diferença, e Bernardinho tentou a primeira mudança, ao mandar Drussyla para o lugar de Anne. Não funcionou. Após novo ace do Minas, dessa vez de Carol Gattaz, o técnico do Rio parou a partida mais uma vez para tentar arrumar a casa.

  Rio de Janeiro e Minas fizeram mais um duelo complicado pelas semifinais da Superliga (Foto: Alexandre Arruda/Divulgação Rexona-Sesc)

As mineiras, porém, seguiram soberanas. Bernardinho tentou a inversão, tirou Roberta e Monique e mandou Helô e Camila Adão para a quadra. As rivais ampliaram a vantagem para sete pontos logo depois, fazendo 17/10. O Rio reagiu. No ace de Drussyla, fez a diferença cair para quatro pontos. Foi a vez de Paulo Coco parar a partida pela primeira vez. As donas da casa até tentaram buscar a diferença, mas Minas soube se manter à frente. Mara, sozinha na rede, fechou o set: 25/21.

Rio largou na frente no segundo set. Sob pressão, abriu 6/3 depois de uma pancada de Drussyla, sem defesa para Léia. Pouco depois, a mesma Drussyla subiu à rede ao lado de Carol e fechou a porta para Hooker. A vantagem já era de cinco pontos (8/3), e Paulo Coco parou a partida. Em quadra, depois de um erro de posicionamento da defesa, as mineiras se uniram em um abraço na tentativa de acertar os passos. Aos poucos, reagiram. Jaqueline venceu o bloqueio carioca e diminuiu a diferença para dois pontos (10/8). Bernardinho, então, parou o jogo.

As palavras do técnico funcionaram, e o time carioca voltou a disparar. Depois de ace de Monique, o Rio já tinha 16/10 na contagem. Logo depois, novamente no saque, a oposta ampliou para 18/10. Paulo Coco ainda tentou mandar Karine para a quadra, no lugar de Naiane. As donas da casa, porém, não deram chances para qualquer reação. No ace de Roberta, 25/13, e tudo igual na disputa.

No terceiro set, equilíbrio. Aos poucos, porém, o Rio conseguiu descolar no placar. Gabi largou o braço, abriu três pontos (9/6) e obrigou Paulo Coco a parar a partida. O técnico tentou mudar o panorama e mandou Karine para a quadra mais uma vez. Funcionou. Mara parou o ataque de Drussyla com o bloqueio, e a diferença caiu para um ponto (10/9).

O empate veio depois. Hooker saltou de trás e mandou um canhão, sem defesa para Monique (14/14). Minas seguiu o ritmo e passou à frente em ponto de Carol Gattaz, que só empurrou a bola para a quadra rival. Quando a diferença subiu para dois pontos (17/15), Bernardinho parou o jogo. Em dois erros seguidos de Rosamaria, o Rio voltou à frente para não sair mais. No bloqueio de Gabi sobre Hooker, 25/21 e um passo em direção à vitória.

O equilíbrio se manteve no início do quarto set. Aos poucos, porém, Minas se mostrou forte. Ao fazer seu ataque explodir no bloqueio das cariocas, Hooker abriu 11/8 para as visitantes. O Rio foi buscar. Empatou depois de um ataque de Drussyla, mas voltou a deixar as rivais abrirem três pontos. As cariocas seguiram na luta para tirar a diferença. Não deu certo. Carol Gattaz acabou com o sonho das donas da casa e fechou o set em 25/23.

Carol Gattaz abriu a contagem no tie-break com um bloqueio. Rosamaria, com dois pontos em sequência, ampliou. Minas manteve o ritmo do final do set anterior, e Bernardinho não demorou a parar o jogo. O Rio lutava para tirar a diferença, enquanto o time mineiro se esforçava a todo custo para se manter à frente. Minas abriu 11/6, mas o time da casa não desistiu. O esforço foi em vão. Minas segurou a vantagem e fechou em 15/8.


Livre de vírus. www.avast.com.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.