Header Ads

>

Sada Cruzeiro bate Sesi-SP e conquista o tri da Copa Brasil




 

O Cruzeiro voltou a mostrar força, superação e começou 2018 com mais um título. O time celeste encarou a pressão da torcida na Vila Leopoldina, em São Paulo, e derrotou o Sesi-SP por 3 sets a 2, na noite deste sábado, na final da Copa Brasil de Vôlei. As parciais da longa partida foram de 25/23, 20/25, 25/17, 29/31 e 15/9. A equipe estrelada comemorou o tricampeonato, depois de levantar a taça em 2014 e 2016.

O clima antes da grande decisão foi de homenagem. Aos 36 anos, Murilo Endres, que de ponteiro passou a líbero, teve a camisa 8 aposentada pelo clube da Vila Leopoldina. A cerimônia teve a presença do maestro João Carlos Martins, que tocou o hino nacional no piano.

Em quadra, no entanto, o clima foi mesmo de decisão. As duas equipes mostraram repertório de saques, bloqueios e jogadas empolgantes. Mas houve muitos erros dos dois lados. O Cruzeiro foi preciso nos momentos certos, mostrou frieza e poderia até ter fechado em 3 sets a 1, mas permitiu que o time da casa levasse a definição para o tie-break. No fim, festa celeste em uma grande partida na Vila Leopoldina.

"O que passou, a gente deixa guardado em casa. Medalha, troféu… a gente sempre pensa no próximo (título). Nosso time é uma máquina de ganhar título. Não escolhemos competição. E a intenção é ganhar sempre. O Sesi ofereceu muita resistência para nós, é um time muito bom e a gente fica feliz por termos conquistado o tricampeonato", disse o líbero Serginho em entrevista ao SporTV.

O jogo

O primeiro set da noite foi disputado ponto a ponto, com ambas as equipes mostrando que fariam de tudo para ficar com o título. No entanto, o Cruzeiro contou com a linha de bloqueio inspirada, fazendo quatro pontos no fundamento contra apenas um do Sesi-SP, e com grandes saques. A parcial, inclusive, foi decidida com um ponto de saque do central cubano Simon.

Depois de saírem derrotados, os donos da casa acordaram no segundo set e foram arrasadores. Aproveitando justamente o que fez o Cruzeiro vencer na primeira parcial, o Sesi bloqueou bem e mostrou muita força no saque para deixar tudo igual.

Os mineiros trataram de se recuperar no terceiro set e mostraram aos donos da casa que não teriam vida fácil na disputa pelo título. Mais agressivos, os celestes mantiveram uma baixa margem de erro durante toda a parcial para fechar em 25 a 17 e se recolocarem à frente no placar.

No quarto set, o Sesi novamente se recuperou e conseguiu o empate. Se reencontrando em quadra e dificultando a busca dos mineiros pela vitória, os donos da casa foram bastante eficientes na reta final da parcial e demonstraram frieza nas últimas trocas de bola para fechar em 31/29 e forçar o tie-break.

Na parcial decisiva, Leal, que tem como característica a ofensividade, surpreendeu com o seu papel defensivo, contribuindo para que a equipe chegasse a oito pontos de vantagem antes de fechar o quinto set em 15/9.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.