Header Ads

>

Brasil exagera nos erros e cai para o Canadá na Liga das Nações




Renan tenta acertar o time durante a partida (Foto: Divulgação/FIVB)

A semana prometia problemas. Mas o Brasil talvez não esperasse que eles já viessem assim, logo de início. Na manhã desta sexta-feira, a seleção de Renan Dal Zotto teve chances, mas desperdiçou todas. O Canadá, ao contrário, quis se impor. Em 3 sets a 0, parciais 25/22, 34/32 e 25/23, os canadenses surpreenderam os brasileiros e abriram a etapa de Varna, na Bulgária, com vitória na Liga das Nações.
O Brasil não perdia para o Canadá desde a Liga Mundial de 2012, em São Bernardo do Campo. Desde então, foram oito vitórias brasileiras. A partida também representou outra marca negativa: a seleção não caía em sets diretos desde a Liga Mundial de 2016, quando foi batido pela Sérvia. A derrota desta sexta foi a segunda da seleção na competição. Antes, havia perdido para a Itália, na semana de abertura da Liga. Neste sábado, a equipe volta à quadra às 9h30, contra a França.
Gavin Schmitt e Nicholas Hoag foram os grandes destaques do jogo: o primeiro marcou 16 pontos; o segundo, 15. O Brasil sentiu falta de seus ponteiros. Maurício Borges, Douglas Souza e Léo, que entrou durante a partida, não conseguiram ser efetivos no ataque. Wallace, com 19 pontos, e Lucão, com 12, foram os maiores pontuadores.
Com a derrota, o Brasil estaciona nos 23 pontos, em segundo lugar. Pode, porém, ainda ver a Polônia, que tem o mesmo número de pontos, escapar na liderança e ser ultrapassado pela França. Os franceses, adversários deste sábado, enfrentam a Bulgária ainda nesta sexta.
Muitos erros e pouca definição
Isac fechou o espaço junto à rede e abriu a contagem para o Brasil. O Canadá, porém, tinha as suas armas. Com paspassam pelo Taubaté, o oposto Gavin Schmitt era um nome a se prestar atenção. Os rivais da América do Norte tinham suas qualidades, e o time de Renan Dal Zotto sofria para achar espaços. Ainda assim, o Brasil chegou à primeira parada técnica em vantagem, com 8/7. Os times, então, passaram a se alternar na dianteira no placar. No erro do árbitro, que não marcou duas invasões canadenses na mesma jogada, por cima e por baixo, o time rival passou à frente e, logo depois, abriu 22/19. O Brasil ainda buscou o empate, com uma boa passagem de Wallace no saque. Mas os canadenses fecharam com um bloqueio: 25/22.
Maurício Borges foi quem abriu a pontuação no segundo set. Foi um início melhor do Brasil, que, mais agressivo, fez 6/2 na partida. No bloqueio de Douglas Souza sobre Schmitt, a seleção abriu 8/3 na chegada ao primeiro tempo técnico. Mas o Canadá lutou para buscar. Vigrass, em ace, diminuiu a diferença para apenas dois pontos (17/15). Os canadenses marcaram mais uma vez e ligaram o alerta do lado do Brasil. O empate veio com Gunter, e a partida ganhou mais uma vez em drama.
Depois de desperdiçar um set point, a seleção mostrou falta de sintonia e deixou cair no chão uma bola tranquila. O Canadá voltou a ter a frente e ficou perto de fechar o set. Ainda desperdiçou algumas chances, mas contou com o erro de Wallace para ampliar sua vantagem na partida: 34/32.  
O Brasil quis lutar. Não queria sair de quadra assim, sem ao menos ameaçar. Lucão, de bloqueio, fez a seleção largar na frente. A seleção parecia mais atenta. Depois de uma cobertura espetacular de Murilo, Wallace fechou a porta para Hoag e fez 11/7. Mas o Canadá buscou mais uma vez. No saque de Hoag, Léo errou na recepção, e os rivais empataram em 14/14. O Brasil voltou à frente, e, no melhor rali do dia, abriu dois pontos em ataque de Isac.
Nenhum dos ponteiros brasileiros vivia um bom dia. Restrito aos ataques de Wallace e Lucão, Bruninho tinha problemas para rodar o jogo. Do outro lado, o Schmitt e Hoag sobravam em quadra. No fim, o Canadá virou mais uma vez e chegou à vitória: 25/22.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.