Header Ads

>

Flamengo apresenta equipe de vôlei feminino




volei feminino fla
Um dos esportes olímpicos mais tradicionais na história do Flamengo está, oficialmente, de volta. Nesta quarta-feira, o Rubro-Negro apresentou ao público sua equipe de vôlei feminino em um evento realizado na Gávea, sede do clube no Rio de Janeiro.

A partir de janeiro de 2019, o plantel feminino irá disputar a Superliga B. O principal objetivo é garantir o acesso à Superliga e recolocar o Flamengo entre os times da elite do vôlei nacional.

O plantel será comandado pelo treinador Alexandre Dantas, que acumula experiências dentro de quadra ao longo da carreira e também já foi gerente de vôlei do Flamengo. O técnico também é supervisor das categorias de base da Seleção Brasileira e foi o grande responsável por encaminhar a contratação de atletas para o time. Com a nova função de Dantas, João Pântano assumiu a gerência do esporte olímpico rubro-negro.

Confira a relação completa de atletas do vôlei do Flamengo:
Meio de redes: Juliana, Luiza, Nandyala
Levantadoras: Rafaela, Thaís e Laura
Ponteiras: Natasha, Angélica, Juliana, Thayná e Nayara
Oposta: Maria
Líbero: Fernanda 
Alexandre Póvoa comemora 'volta por cima' dos esportes olímpicos
Vice-presidente dos esportes olímpicos do Flamengo, Alexandre Póvoa era um dos presentes no desmonte das modalidades realizado no clube em 2013. O Rubro-Negro foi extremamente criticado à época, mas o dirigente hoje comemora a volta por cima.

- Algumas pessoas não entenderam, mas aquilo foi dar três passos atrás para dar cinco à frente. Demos a volta por cima. (...) São três pilares essenciais no Flamengo: o salário em dia, a infraestrutura e o 'cuidar' de nossas atletas - disse o VP da pasta.
Hoje, Póvoa vê um Flamengo com melhores condições, mas ainda com um pé no chão. O dirigente também falou sobre suas expectativas para Tòquio 2020, mas o maior foco é em 2024. A MP 841, proposta pelo presidente Michel Temer e que destinaria recursos federais a um fundo de segurança pública, foi outro tópico de discussão.

- Tenho certeza que vamos ter mais atletas do que tivemos no Rio (em Tóquio). Pra 2024, vai ter uma geração muito maior, pois são os atletas que estão chegando agora no clube. (...) Fazer esporte olímpico no Brasil é muito difícil. Se não fosse essa gritaria dos clubes contra a MP 841, o esporte ficaria sem dinheiro nenhum - completou.
Alexandre Dantas vê responsabilidade no comando do Rubro-Negro

A relação entre Flamengo e Alexandre Dantas é de longa data, já que o profissional passou bons anos no começo de sua carreira no clube.
A responsabilidade de comandar uma nova geração do vôlei feminino (justamente em uma equipe conhecida por revelar grande atletas) pesa, mas o treinador garante se sentir à vontade.

- Meu histórico é de quadra. Tenho uma formação em gestão, mas sempre fui ligado à área técnica. (...) Me encaixei muito bem por isso, foi muito interessante para mim. Acredito que eu tenha o tamanho dessa responsabilidade bem mapeado - disse.
Alexandre Dantas
Paralelo ao cargo de treinador, Alexandre segue exercendo suas funções como supervisor das categorias de base da Seleção Brasileira de vôlei.

- É 'tranquilo' nos limites que um ser humano pode suportar (risos), porque fico de domingo a domingo ligado. Amanhã tenho uma reunião em Saquarema que é muito importante para o vôlei brasileiro. Todos os técnicos da base junto com os supervisores irão trocar ideias para os próximos ciclos olímpicos - revelou o técnico.

Juliana Ribeiro sente 'calor e emoção' ao vestir a camisa do Flamengo

O Flamengo estreia na Superliga B apenas em janeiro de 2019, mas as expectativas já estão à flor da pele para muitas jogadoras. Na opinião de Juliana Ribeiro, a oportunidade de vestir a camisa rubro-negra torna-se ainda melhor pela chance de representar os 40 milhões de torcedores do clube.

- Espero que seja uma temporada cheia de aprendizados e que possamos crescer muito. (...) Vestir a camisa do Flamengo é um calor, uma emoção, uma responsabilidade gostosa de sentir. Entrar em quadra tendo que representar uma torcida maravilhosa pra mim é incrível. Estou muito feliz por essa oportunidade - declarou a ponteira.
Juliana Ribeiro
Em termos de infraestrutura - um dos pilares citados por Póvoa -, a atleta assegura que todas tem os melhores cuidados à disposição. Juliana ainda citou a presença constante de João Pântano, novo gerente de vôlei do Flamengo, no dia a dia das jogadoras.

- Eles têm nos dado tudo que a gente precisa, oferecendo cuidado médico. Fizemos vários exames de pré-temporada, tudo voltado para o bem-estar e a saúde da equipe. O João Pântano está sempre no nosso cotidiano.  A estrutura é maravilhosa - completou.

Flamengo quer reviver passado vitorioso no vôlei
Na temporada 2000/2001, o Rubro-Negro vivenciou sua maior glória no vôlei feminino. O time do Flamengo - que contava principalmente com Virna e Leila, ambas da Seleção Brasileira - venceu o rival Vasco da Gama por 3 jogos a 1 e conquistou seu único título de Superliga até hoje. O clube já tinha sido bicampeão brasileiro em 1978 e 1980, mas esse é o único título do clube desde que o torneio mudou de formato.
isabel e jackie silva flamengo

O vôlei feminino do Flamengo, que começou ainda na década de 1940, também foi responsável por revelar duas campeãs olímpicas: Fabi (bicampeã, 2008 e 2012) e Valeskinha (2008). Na história do clube, há também outros nomes gigantes: Isabel Salgado e Jaqueline. A dupla foi revelada pelo Rubro-Negro e é até hoje referência na história do esporte brasileiro; o vestiário do vôlei feminino do Rubro-Negro foi nomeado em homenagem às duas atletas.

Ao longo da história, o vôlei feminino do Flamengo acumula 11 títulos de Campeonato Carioca, dois Brasileiros (1978 e 1980), um Sul-Americano (1981) e uma Superliga (2001)
Fonte: Lance

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.