Header Ads

>

Giba é indicado para o Hall da Fama do vôlei e vai entrar para grupo de estrelas




Giba é indicado para o Hall da Fama do vôlei e vai entrar para grupo de estrelas

 

Aos 41 anos, Giba conquistou mais um feito na sua carreira. Nesta quarta-feira, o ex-jogador foi indicado para o Hall da Fama do Vôlei. Tricampeão mundial e campeão olímpico, ele vai entrar oficialmente para o seleto grupo de estrelas da modalidade em uma cerimônia de gala no dia 10 de novembro, em Holyoke, Massachusetts, Estados Unidos.

- Que honra! Faltam palavras nesse momento... Só posso realmente agradecer! Fui selecionado para o Hall da Fama do vôlei, para integrar um seleto grupo de 14 brasileiros. Em novembro estarei nos EUA para a cerimônia! Divido essa honra com todos vocês, brasileiros e fãs do mundo inteiro - disse Giba.

Com Giba na equipe, o Brasil nunca ficou fora de um pódio em qualquer competição. Além dos três títulos mundiais e do ouro olímpico de Atenas 2004, o ponteiro conquistou duas pratas em Olimpíadas (Pequim 2008 e Londres 2012); dois ouros e dois bronzes em Copas do Mundo; três ouros em Copas dos Campeões; oito ouros, duas pratas e dois bronzes na Liga Mundial; um ouro, uma prata e um bronze em Jogos Pan-Americanos; e oito ouros em Sul-Americanos. Foi o MVP de Atenas 2004 e do Mundial de 2006.

Giba é o 14º brasileiro a entrar para o Hall da Fama. Da quadra, estão no grupo Ana Moser, Fofão, Nalbert, Maurício, Bernard Rajzman e Renan dal Zotto, hoje técnico da seleção brasileira masculina. Da praia, receberam a honraria Emanuel, Adriana Behar, Shelda, Jackie Silva e Sandra Pires. O técnico Bebeto de Freitas e o ex-dirigente Carlos Arthur Nuzman completam a lista de brasileiros nomeados. No total são 135 membros de 23 países, entre ex-jogadores, técnicos e dirigentes. Hoje é o presidente da Comissão de Atletas da Federação Internacional de Vôlei.

Além de Giba, a turma de nomeados de 2018 conta com a ex-jogadora russa Evgenia Artamonova Estes, o ex-jogador holandês Bas van de Goor, o técnico neozelandês Hugh McCutcheon e o dirigente japonês Hiroshi Toyoda.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.