Header Ads

>

Sesi Bauru vence Pinheiros no tie break









Em meio a um chuvoso entardercer em São Paulo, com direito a chuva de pedras, um bom público compareceu ao ginásio Henrique Vilaboim para a partida entre Pinheiros e Sesi Vôlei Bauru, na penúltima rodada da primeira fase da Superliga/CIMED. Contudo, apesar das equipes conseguirem seus objetivos mais acessíveis, o resultado de 2 x 3 (25×22, 24×26, 24×26, 25×19 e 7×15) não foi satisfatório para nenhuma das equipes.

Afinal, ambos os times precisavam dos três pontos. O Sesi entrou na partida dois pontos atrás do Osasco/Audax, então 5° colocado. Apesar da vitória ser o suficiente para ultrapassar o rival, já que o Bauru leva vantagem nos critérios de desempate, as osasquenses possuem um jogo a menos. Assim, o ponto "perdido" em São Paulo complicou ainda mais a possibilidade de G5 para o Bauru.

Por outro lado, o Pinheiros precisava apenas de um ponto para garantir a permanência na Superliga. Contudo, para continuar com chances de chegar aos playoffs, precisava dos três. Assim, a derrota sepultou as chances de alongar a temporada da equipe, que, pela primeira vez na história do Superliga, ficou fora do mata-mata.

O Sesi não contou com Valentina (dor na lombar) e Valquíria, que se recupera de uma dengue. Sem duas de suas principais jogadoras, a equipe não teve vida fácil em São Paulo. Com menos poder de fogo e alternativas para as levantadoras, coube à Edinara e Saraelen substituírem os desfalques. A jovem Glayce também teve seu espaço e foi fundamental no fim do segundo set. O grande destaque, contudo, foi Gabi Candido, que anotou 17 pontos e venceu o Troféu Viva Vôlei.

Com a corda no pescoço, o Pinheiros teve mais atenção no início do jogo, principalmente na recepção e defesa. Contudo, após permitir a virada bauruense o jogo pinheirense se desfez, uma vez que não teve nenhuma dificuldade para vencer o quarto set e não teve uma boa atuação no tie break. Assim, terminou o jogo de maneira melancólica diante de seu torcedor, que aplaudiu a luta das atletas.

Na última rodada o Pinheiros apenas cumprirá tabela contra o já rebaixado Camboriú na próxima sexta-feira (15), às 21h30, em São Paulo. Já o Bauru receberá o Fluminense no mesmo dia e horário na Panela de Pressão. A equipe precisa da vitória e torcer para ao menos um tropeço do Osasco na próxima semana para ficar com o 5° lugar.

O jogo

Mesmo jogando fora de casa o Bauru não se intimidou e largou na frente. Contudo, a vantagem em nenhum momento chegou a dar conforto para o time, que não conseguiu abrir mais que três pontos. Durante praticamente todo o set as donas da casa perseguiram o Sesi, chegando a empatar o jogo em alguns momentos. Quando finalmente viraram, em 17 x 16, Anderson pediu tempo.

Contudo, o Pinheiros seguiu com Camila Paracatu no saque, abrindo três pontos de vantagem. Anderson parou a partida mais uma vez e, aí sim, conseguiu tirar a central do saque, equilibrando a parcial. Com mais atenção na recepção e um bloqueio melhor postado, o Sesi encostou no placar, mas Sérgio Negrão parou o jogo a tempo de arrumar sua equipe, que conseguiu fechar a parcial em 25 x 22.

O início do segundo set foi quase um replay do primeiro: vantagem inicial bauruense e o Pinheiros perseguindo as rivais de perto. O Sesi só não conseguiu abrir uma boa diferença por conta dos erros ofensivos do time. Foram três consecutivos, dois deles de Edinara, que poderiam dar cinco pontos de frente para as visitantes, mas ao invés disso permitiu um 10 x 9 das anfitriãs.

Vendo o set escapar de suas mãos, Anderson pediu tempo e sacou Tifanny, que deu lugar a Palacio, além de promover a inversão do 5 e 1. Contudo, o Pinheiros imprimiu um 16 x 9 com ace de Roberta. O Bauru reagiu com duas grandes sequências: primeiro Saraelen no saque, que conseguiu seu ace e facilitou a vida de dois poderosos ataques de Palacio. Depois foi a vez Naiane, que ficou em quadra, já que a inversão não se desfez.

Apesar dos pedidos de tempo de Negrão, o Sesi manteve o bom ritmo e teve dois sets points ao abrir 22 x 24. Palacio não conseguiu converter os ataques, mas Glayce salvou a recuperação bauruense ao empatar a partida com um ace: 24 x 26, em 31 minutos jogados.

As luzes apagaram logo que começou a terceira parcial. Após cerca de 15 minutos de interrupção, até o sistema de iluminação aquecer novamente, o Pinheiros voltou melhor, aproveitando as bolas de Herrera e Mari Casemiro. Isso não quer dizer, contudo, que o Bauru jogava mal. Pelo contrário. Apesar de algumas desatenções, o Sesi seguiu de perto as anfitriãs.

Até que a virada veio em 13 x 14 após erro de recepção de Roberta. Contudo, o Pinheiros logo recuperou a frente com dois aces de Fran. A liderança foi mantida até os últimos instantes do set. Sempre com potentes saques, que complicaram a vida de Fabíola, o Pinheiros administrou uma vantagem de quatro pontos até o final da parcial. Contudo, aos poucos o Sesi foi tirando a diferença, muito por conta da melhora na recepção e bloqueio. Após salvar um set point, conseguiu a virada no set e na partida: 24 x 26.

As duas equipes voltaram errando muito no quarto set, trocando pontos ocasionados por tais falhas. Quem colocou primeiro a cabeça no lugar foi Pinheiros, que logo abriu 10 x 6. Anderson pediu tempo. Contudo, as anfitriãs continuaram num melhor momento e fizeram 17 x 9. Daí para a frente apenas administraram a vantagem: 25 x 19.

O tie break não era benéfico para nenhum dos times, mas mesmo assim contou com luta de ambos os laos. Após um equilíbrio inicial, o Bauru abriu três pontos de vantagem. Negrão pediu tempo e o Pinheiros reagiu com Herrera e Fran. Contudo, Gabi Candido tratou de manter o Sesi na dianteira, situação que se manteve até o final da partida: 7 x 15.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.