Header Ads

>

Rexona AdeS vence Molico Osasco no Tie Break




Fofão, vôlei, Rio de Janeiro x Osasco (Foto: Márcio Rodrigues / Divulgação)

A festa foi completa para Fofão nesta terça-feira. Até mesmo a torcida do rival Osasco se rendeu ao talento da levantadora campeã olímpica e cantou parabéns para a jogadora do Rio de Janeiro. Completando 45 anos, ela mostrou que está em forma e festejou seu último aniversário em quadra com uma vitória no clássico das campeãs da Superliga feminina de vôlei - a capitã do Rio irá se aposentar ao fim da temporada 2014/15. O triunfo no tie-break fora de casa - parciais de 25/20, 18/25, 23/25, 25/23 e 15/11 - manteve a invencibilidade das atuais campeãs na competição e coroou a noite de Fofão.

Atual levantadora titular da seleção brasileira, Dani Lins homenageou Fofão com um buquê de flores para a campeã olímpica. Só que o clima amistoso acabou quando a bola subiu. A rivalidade das equipes que dominam o pódio da Superliga desde a temporada 2002/03 falou mais alto. As jogadoras vibravam a cada ponto, lamentavam muito os erros e se jogavam em todas as bolas. No fim melhor para o Rio, que contou com grande atuação da ponteira Gabi.


O Osasco entrou em quadra a mil, no ritmo da barulhenta torcida no ginásio José Liberatti. Muito concentradas, as anfitriãs mostraram força e souberam aproveitar das muitas falhas do Rio - só no saque foram três erros - para abrir vantagem. Só que rapidamente Bernardinho pediu tempo e arrumou a casa. A aniversariante Fofão iniciou a reação com uma bola de segunda. A central Juciely ainda acertou uma medalha na líbero Camila Brait e puxou o paredão carioca, responsável pela virada em 8 a 7. O bloqueio das visitantes cresceu e foi a principal arma para abrir vantagem de quatro pontos. O Osasco até encontrou em Thaísa e Samara uma saída, mas o ataque do Rio fez seu papel, mesmo sem a ponteira Natália, poupada por Bernardinho. Régis e Gabi viraram seguidas bolas para garantir a parcial para as visitantes: 25 a 20.

No segundo set foi a vez do Rio de abrir vantagem logo no começo (3/0), mas o Osasco não tardou a equilibrar o jogo. Dani Lins colocou de lado as dores na coluna que a atormentaram antes de a bola subir para orquestrar a virada, ora com Thaísa, ora com a cubana Carcaces. Até bloqueio a levantadora fez, obrigando Bernardinho a pedir tempo com o placar em 10 a 7. Não adiantou. Carcaces cresceu na partida, variando entre ataques potentes e golpes explorando o bloqueio. Tudo dava certo para as anfitriãs, que foram abrindo vantagem até fechar a parcial em um erro da levantadora Roberta, que substituía Fofão no Rio: 25 a 18.

O Osasco manteve o ritmo forte no terceiro set e chegou a abrir 10 a 5, liderado por Carcaces e Samara. Só que o paredão do Rio voltou a aparecer com força, especialmente com Carol. A central encaixou quatro bloqueios para puxar a arrancada de oito pontos seguidos das visitantes (13/10). Foi quando Thaísa voltou ao jogo para recolocar o Osasco na dianteira, pontuando em ataques entrosados com Dani Lins, no bloqueio e até em saque - Dani Lins e Carcaces também fizeram aces. Quando a bicampeã olímpica foi ao banco, respeitando a rotação, o Rio ensaiou uma virada e chegou a empatar em 23 a 23, mas o Osasco tratou de dar números finais à parcial em uma largadinha de Samara: 25/23.

Vibrando muito a cada ponto, Thaísa manteve o forte ritmo e o bom aproveitamento no ataque para deixar o Osasco em vantagem. Só que quando a central sal de quadra por causa da rotação, as anfitriãs cometeram muito erros e viram a ponteira Gabi puxar uma virada para o Rio, com quatro ataques cravados seguidos. Thaísa e Carcaces mais uma vez colocaram o Osasco no trilho, mas o Rio não deixou o set escapar. Substituta de Fofão, Roberta distribuiu bem o ataque carioca e até fez dois pontos em bolas de segunda. Gabi fechou a parcial com um bloqueio em Ivna: 25/23.

Na parcial de desempate, o Rio logo abriu vantagem, liderado pela reserva Drussyla. O Osasco não jogou a toalha, mas errou bastante. Foi fatal. Com cinco pontos à frente, as visitantes administraram a vantagem para fechar o tiebreak em 15 a 11. A festa de Fofão estava completa. O Rio sofreu, mas permaneceu invicto na Superliga 2014/15.

Com mais uma vitória sobre o rival, o Rio de Janeiro se consolida como o time a ser batido nos playoffs. Com a primeira colocação assegurada, as comandadas do técnico Bernardinho tentam manter a invencibilidade na última rodada da fase de classificação, na sexta-feira, às 21h30, quando recebem o Sesi-SP para mais uma reedição da última final.

O Osasco, por outro lado, tenta não se abater por mais uma derrota em clássicos para se recuperar nos playoffs. Com a terceira posição praticamente garantida, a equipe de Luizomar de Moura fecha sua participação na primeira fase também na sexta, às 21h30, quando encara o lanterna São José dos Campos fora de casa.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.