Header Ads

>

Fofão descarta presença na comissão em 2016: "Nem caberia"




Fofão vôlei (Foto: Fabio Leme) 

Fofão vai curtindo sua aposentadoria, após 30 anos de dedicação diária ao vôlei. Fora da rotina de treinos e jogos desde o final do Mundial de Clubes, em maio deste ano, a ex-levantadora dedica mais tempo à família e aos projetos pessoais. Morando em São Paulo com o marido João Márcio, ela não tem hora para acordar ou dieta para seguir, apenas se preocupar em receber as seguidas homenagens pelos serviços prestados ao esporte e preparar o terreno para uma possível chegada de um filho(a). Aos 45 anos, Fofão trabalha no sonho de ser mãe.

A brusca mudança de rotina não a atormenta ou a deixa sem norte, muito pelo contrário, a falta de obrigações no dia a dia a faz abrir um sorriso de orelha a orelha. Nem mesmo a indefinição do futuro tira sua tranquilidade. As duas únicas certezas são a continuidade no vôlei e a função de comentarista no SporTV, durante os Jogos Olímpicos. Cogitada para fazer parte da comissão técnica da seleção brasileira por José Roberto Guimarães, Fofão descartou tal possibilidade.

- Não tem nada, pois não chegou nada de oficial, mas acho que nem caberia. Está muito em cima e faz pouco tempo que deixei o vôlei. Vou comentar pelo SporTV neste período.

Presença V.I.P. no lançamento da Superliga 2015/16, quando foi homenageada pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) por ser escolhida para o Hall da Fama do esporte, a campeã olímpica de 2008 também refutou qualquer tipo de participação nesta edição da competição mais importante do país, mas garante que mais cedo ou mais tarde será vista fazendo algo pelo vôlei.

- Não tem como não estar envolvida no vôlei, tenho muita coisa para passar, doar. Espero que venham coisas boas, mas não estarei envolvida nesta Superliga. Estou no processo de administração do que eu quero. Vão aparecer coisas novas.

Bernardinho aposta na americana Courtney Thompson para substituir Fofão  (Foto: Márcio Rodrigues)

Atual tricampeã com o Rio de Janeiro, ele participou pela primeira vez da cerimônia de abertura como expectadora. Depois de dizer que é bom rever as amigas, aproveitou para elogiar a sua substituta Courtney Thompson e elogiar a decisão de Bernardinho em dar a faixa de capitã da equipe carioca para Regiane.

- Estou muito feliz por ela, ela merece, é a atleta mais antiga no time, da casa, reconhecida e vai fazer o grupo dar muita risada. Tem liberdade para conversar com o Bernardo. Espero que ela continue sendo a pessoa que é, não apenas como capitã, mas como pessoa mesmo. Eu joguei pouco contra a Thompson, mas vejo que tem personalidade forte, é de grupo, e queria jogar no Rio e com o Bernardo. Não vai ter problemas de adaptação.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.